Publicidade
Manaus
Manaus

Demissões em alta no AM

Segundo a SRTE, o saldo se deve ao fim dos contratos temporários no comércio e na construção civil 24/02/2012 às 10:14
Show 1
A construção civil foi a segunda atividade que mais demitiu trabalhadores em janeiro (241), ficando atrás do comércio
RENATA MAGNENTI Manaus

O Amazonas apresentou saldo negativo em janeiro, assim como em dezembro, em relação à admissão e demissão, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

O balanço apontou 1.344 oportunidades a menos. Entretanto, a Região Norte teve saldo positivo. Em todo o País foram gerados 118.895 empregos com carteira assinada, resultado 21,8% menor do que o registrado no mês de janeiro de 2011.

Na avaliação do superintendente regional do Trabalho em Emprego no Amazonas (SRTE/AM), Dermilson Chagas, o saldo negativo de janeiro é atípico se comparado com janeiro de 2011 quando o saldo foi de 3.118, e com janeiro de 2010 que teve saldo de 1.784 novos empregos. “Essa negativa se atribui a demissão de trabalhadores contratos em regime temporário, em especial nos setores de comércio e construção civil”.

Em dezembro de 2011, o Estado também apresentou dado negativo, fechando em 6.147 demissões. Dados do Caged apontam ainda que das 1.344 demissões, 858 foram no comércio, 241 na construção civil e 156 na indústria de transformação.

Para Dermilson, o comércio deve suspender as contratações nos próximos meses, enquanto, o setor da construção civil deve voltar a aquecer devido as obras da copa do mundo. Apesar do atual cenário, o superintendente estima ainda que em março o cenário no Amazonas deverá positivo e mantido durante este ano.

Região Norte

O Norte apareceu em último lugar no ranking das regiões brasileiras, com saldo de 478 postos de trabalho. De acordo com o Caged, o resultado fraco decorre da queda dos empregos nos Estados do Amazonas (-1.344 postos), Roraima (-344 postos) e Acre (-240 postos). Rondônia foi o Estado da região com melhor desempenho, devido ao crescimento do emprego principalmente na construção civil com saldo de 952.

Em seguida, Tocantins apresenta 691 empregos celetistas, o Pará 630 novos empregos e o Amapá criou 133 novas vagas. Em dezembro de 2011, a região apresentou saldo negativo de mais de 20 mil postos de trabalho.

Já nos últimos 12 meses, o Norte do País apresentou a melhor taxa de crescimento, entre todas as regiões, com saldo relativo de 7,95%, em relação ao estoque anterior, e criação de 125.011 novas vagas.

Nacional

De acordo com o Caged, o resultado de janeiro é o quarto melhor da série histórica, e mostra um crescimento de 0,31% em relação ao estoque de emprego do mês anterior. A região brasileira com maior geração de emprego foi a Sudeste que apresentou saldo de 45.763 novos postos. Em seguida, a região Sul com 44.164 empregos.

Setor de petróleo foi o que mais empregou

Manaus responde por pouco mais de 90% da economia do Estado e, segundo dados do Caged, o município ocupou em janeiro o 11º lugar no ranking das cidades amazonenses que mais demitiram.

Segundo o superintendente SRTE/AM, Dermilson Chagas, Coari ocupa o primeiro lugar no ranking, devido às contratações da empresa HRT Petroleum (High Resolution Technology & Petroleum).

De acordo com ele, o setor de petróleo e gás também tem gerado emprego em Tefé, Itacoatiara e em Carauari que não entrou no ranking por ter menos que 30 mil habitantes. Iranduba, segundo ele, tem contratado trabalhadores no setor imobiliário e construção civil, devido à ligação do município com Manaus através da ponte Rio Negro. Parintins se destaca devido ao comércio que atraí a população de municípios vizinhos. Série No acumulado do ano, o Estado gerou um total de 39.834 postos de trabalho, correspondendo a um aumento de 10,08%.