Publicidade
Manaus
Menina raptada

Depoimento pode causar reviravolta em caso de menina supostamente raptada em Manaus

Uma amiga da menina de 13 anos falou à polícia que garota estaria bem e vivendo com o namorado 24/10/2012 às 21:16
Show 1
Garota desapareceu da frente da escola em Manaus
Maria Derzi Manaus

O depoimento de uma amiga da menina de 13 anos de idade que, supostamente, teria  sido   raptada na semana passada, da frente da Escola Municipal Don Jackson Damasceno - localizada a Rua Verbaco, S/N, Jorge Teixeira, Zona Leste - pode dar uma reviravolta no caso investigado pela Delegacia Especializada na Proteção à Criança e ao Adolescente(Depca).

Enquanto os pais continuam sustentando a versão de que a filha teria sido raptada por um homem de 25 anos, conhecido apenas pelo nome Marcelo, no dia 18 de outubro e, que a menina estaria sendo mantida com ele, contra sua vontade, uma amiga de J. declarou, em depoimento à Deapca, ter mantido contato com a adolescente, após o suposto rapto. “Nós ouvimos uma coleguinha  que teria mantido contato com a J. depois que ela sumiu. Segundo ela, a amiga está bem e está vivendo com o namorado. Ela não quis falar muito, mas diz que sempre mantém contato com a menina”, disse a delegada plantonista da Deapca Luciana Paiva.

No final da tarde desta quarta-feira (24), os pais da menina que prestou depoimento foram chamados à Deapca para esclarecer as declarações da filha e informaram à Delegada Luciana Paiva que a J., adolescente supostamente desaparecida,  teria ido à escola, acompanhada do namorado, para buscar o boletim. “Nós ainda vamos confirmar essa informação com a escola”, disse uma das funcinárias da Deapca.

A delegada plantonista  disse ainda que desconhece a informação, prestada pelos pais de J.   à reportagem de A crítica, de que o suposto raptor já teria feito o mesmo com outras meninas. “Por enquanto nós estamos encarando como fuga. A gente não pode dizer que é mais que isso, por enquanto porque não temos mais evidências que comprovem que foi um rapto. Mas, de acordo com os próximos passos das investigações pode ser que seja descoberto várias outras situações. Estamos investigando”, disse a delegada.

Caso

Denúncias realizadas pelos pais à especializada indicam que a adolescente teria sido raptada por um homem de 25 anos de idade, conhecido apenas como Marcelo. Segundo os pais, eles mantiveram contato, pelo celular da menina, com o suposto raptor, que disse que iria viver com a menor de 13 anos como sua mulher. Quase uma semana após o suposto rapto, a menina ainda está desaparecida.

O pai da menina, que preferiu não se identificar, reclamou à reportagem de A Crítica que a polícia civil não está tratando o caso como um rapto e, sim, como uma fuga. “Ela não fugiu, ela foi levada de nós. Esse homem é um pedófilo e ameaçou a minha filha dizendo que iria nos matar, a mim e a mãe dela. Agora, depois da divulgação da foto dela no jornal e na tv, ele não atende mais o celular e não sabemos onde a nossa filha está”, disse o pai.

O pai completou que, apesar da denúncia, a delegacia só teve avanços nas investigações sobre o caso, no inicio da semana. “Não é verdade quando publicam que a delegacia e o conselho tutelar estão acompanhando o caso”, reclamou o pai.

O Presidente do Conselho Tutelar da Zona Leste, Johnny Menezes, disse que a última vez que conseguiu falar com J. pelo celular foi no domingo. “O celular parecia estar no viva-voz, como se alguém quisesse escutar a nossa conversa. Perguntei a menina se ela estava bem e ela disse que estava, mas não revelou onde ela se encontrava naquela ocasião. Também perguntei se ela estava lá de espontânea vontade e se ela queria voltar. Ela me respondeu que ela não ia voltar. Se tivesse que voltar, iria se matar”, afirmou o conselheiro.