Publicidade
Manaus
Manaus

Deputado-candidato em ritmo de maratona no Amazonas

Um dos quatro prefeituráveis de Fonte Boa, o deputado estadual Wilson Lisboa (PCdoB) garante que vai cumprir as tarefas na ALE e a agenda de campanha 31/07/2012 às 07:55
Show 1
Trajeto no Amazonas
Mariana Lima Manaus

Chegar ao Município de Tefé (a 520 quilômetros de Manaus) às 6h da manhã, viajar por mais três horas em uma voadeira até Fonte Boa (a 676 quilômetros da capital amazonense) e encarar uma campanha na sede e nas comunidades rurais. É esse o exercício que o deputado estadual e candidato a prefeito de Fonte Boa, Wilson Lisboa (PCdoB), se comprometeu a fazer a partir dessa quarta-feira (1), quando reiniciam as atividades na Assembleia Legislativa (ALE-AM).

Lisboa tem que participar das atividades na ALE-AM da qual não se licenciou. A Casa tem três reuniões plenárias na semana, na terça, quarta e quinta-feiras, pela manhã. E, em Fonte Boa, cumprir a rotina de um candidato a prefeito.

O deputado-candidato garantiu que não faltará às sessões na Assembleia Legislativa por conta da campanha eleitoral. “O povo votou em mim, então é meu dever conciliar minha campanha com a Assembleia Legislativa. Como existem os finais de semana e eu trabalho na ALE até quinta-feira, vou aproveitar sexta, sábado, domingo e segunda, quatro dias na semana para fazer campanha. Não há ideia de querer fazer recesso branco. É claro que em uma hora ou outra pode acontecer situações em que eu não poderei viajar, como a chuva, o que será um dos obstáculos já previstos para a campanha”, disse.

Situado na microrregião do Alto Solimões, não tem voos diretos diários e apenas uma das quatro operadoras de telefonias móveis está presente em Fonte Boa.

O sacrifício, segundo o parlamentar, é necessário, pois “Fonte Boa precisa de uma pessoa que conheça a cidade, que saiba administrá-la e que não roube o dinheiro público”, disse o deputado que já foi prefeito por três vezes da cidade e foi liberado liberado da lista dos “ficha suja” pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) onde respondia por contas irregulares no dia 5 deste mês.

O candidato Wilson Lisboa, 57, vai contar com a ajuda do irmão e também candidato a vice, Adeílson Lisboa (PP) na campanha eleitoral. A família de Wilson Lisboa é velha conhecida na Prefeitura de Fonte Boa. Em 2004, o pai dele, Sebastião Lisboa (PP), foi prefeito da cidade, permanecendo no posto até 2008 quando foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Sobre a escolha do irmão para compor a chapa dele como candidato a vice-prefeito, Lisboa afirmou ser mera coincidência. “Somos de uma coligação formada por quatro partidos (PSC,PTB, PCdoB, e PP), como não houve concorrente para a cabeça de chapa eles aceitaram a minha candidatura como candidatura única. Mas para vice houve uma disputa interna entre os quatro partidos com 960 convencionais votando e quem ganhou foi a chapa do PP que foi encabeçada pelo meu irmão que recebeu 479 votos”, explicou.

O deputado criticou a atual administração de Fonte Boa. “O Antônio (Gomes, prefeito de Fonte Boa pelo PMDB) conseguiu acabar com um município estruturado, com um processo econômico estabelecido. Lá, se instalou uma administração brincalhona que não levou a sério a responsabilidade com o povo. Hoje Fonte Boa não tem nada” disse.

 Parlamentar rechaça nepotismo

 Cassado em 2010 pelo Tribunal Eleitoral Regional do Amazonas (TRE-AM) devido as contas irregulares de campanha, Wilson Lisboa (PCdoB) assumiu a vaga de deputado estadual sub judice no dia 3 de julho por determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O parlamentar tomou posse com a promessa de não faltar às sessões plenárias ao mesmo tempo em que realizará a campanha eleitoral em Fonte Boa.

Para dar conta desse jogo de cintura, o parlamentar disse que contará com a ajuda do irmão, e candidato a vice, que fará campanha em Fonte Boa enquanto ele cumpre a agenda de deputado estadual em Manaus.

Sobre os parentes que participam das disputas eletivas Wilson Lisboa comentou: “O nepotismo é uma palavra extinta do dicionário político brasileiro”.

‘Interior fora da esfera do mundo’ 

 O nome do deputado Wilson Lisboa constava sete vezes na lista de inadimplentes do TCE-AM. Sobre o grande número de contas reprovadas pelo órgão, o deputado explicou  que os prefeitos do interior cometem erros, porque não têm conhecimento. “Eu acredito que o interior está muito fora da esfera do mundo e que nós temos que nos atualizar. Erros crassos e bestas que na opinião jurídica é muito, para nós, do interior, é pouco. Por exemplo: Você pode doar uma passagem? Pode! Mas de que maneira você tem que doar para que seja correto?”, questiona. “Nós fazíamos da maneira que achávamos correto, mas não era a maneira correta. Por isso há tantas situações em que os prefeitos fazem por fazer, pela obrigação de fazer, mas que fazem da maneira errada”, disse o parlamentar-candidato.