Publicidade
Manaus
Manaus

Deputado defende aposentadoria vitalícia dos artistas do Amazonas

Deputado que já foi cantor de toadas, Tony Medeiros defende que os artistas tenham todo o direito de receber a ajuda do governo, através de um salário que segundo ele é pelo reconhecimento pelas obras apresentadas à cultura amazonense 10/04/2012 às 17:13
Show 1
Da Tribuna Tony Medeiros defende classe artística
acritica.com Manaus

Na sessão desta terça-feira (10), o deputado estadual Tony Medeiros usou a Tribuna para criticar a imprensa, em destaque sobre uma reportagem publicada de um jornal de Manaus, que divulgou que artistas amazonenses recebem irregularmente aposentadoria vitalícia paga pelo Governo do Estado.

De acordo com Tony Medeiros, artistas como Moacir Andrade, Chico da Silva, Thiago de Melo e Oscarino, entre outros, não merecem ter os nomes manchados nas páginas dos jornais. “São artistas que durante décadas contribuíram, e ainda contribuem, com o fortalecimento da cultura amazonense”, afirmou Tony.

Ao defender a aposentadoria paga pelo Governo do Estado, o parlamentar disse que os artistas não são trabalhadores comuns, com salário certo no final do mês. “Sei como é a vida de artista, pois já fiz shows cujos pagamentos demoraram quase um ano pra sair”, lembra o deputado.

Tony deu ainda o exemplo de um caso ocorrido recentemente, quando a Assembleia dos Deputados pagou um quadro do pintor Moacir de Andrade. O quadro se encontrava no Poder Legislativo há vários anos, porém o pintor jamais tinha recebido o pagamento pelo trabalho.

Após negociação, a Aleam pagou R$ 15 mil pelo quadro, porém a imprensa considerou o valor alto. “Na minha opinião, houve um desprezo à qualidade e importância de Moacir de Andrade para o Amazonas, pois quadros dele são vendidos por mais de R$ 100 mil no País e no exterior”, ressaltou Tony.

Velhice
O problema do desamparo aos artistas fica mais grave com o passar dos anos, disse Tony Medeiros. Segundo ele, é na velhice que eles, "os artistas" mais precisam de apoio. “Como não têm salário fixo no final do mês, a maioria não consegue pagar INSS ou plano de aposentadoria privada”, destaca o deputado.

- “Eles (artistas) não têm 13º salário e acesso a programas sociais ou habitacionais. Mesmo assim não desistem de levar cultura ao nosso povo”, defende o parlamentar.

Tony ressaltou ainda que os artistas não são “usurpadores do dinheiro público”, como foi tachado pelo Ministério Público do Amazonas (MPE-AM). “Foi o MPE que entrou com Ação Civil Pública pedindo o cancelamento das pensões pagadas aos artistas. Sou contra esse cancelamento”, afirmou o deputado.

Ao defender os artistas, Tony disse que da mesma forma que a sociedade protege os bens materiais, como museus, quadros e esculturas, deve haver uma proteção aos "bens vivos", representados pelos artistas. “Infelizmente o artista só recebe o devido reconhecimento após morrer. Temos que mudar essa forma valorização”, completou Tony.