Publicidade
Manaus
Política, Segurança Fluvial, Capitania dos Portos, Tony Medeiros, ALE/AM

Deputado deverá sugerir mais operações à Capitania dos Portos, no rios do AM

Tony Medeiros destacou a realização de ações de fiscalização da Capitania, no final de fevereiro, e a importância do caráter preventivo das mesmas 01/03/2012 às 12:58
Show 1
Equipe da Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental monta posto de fiscalização no rio Negro
acritica.com Manaus

Um pedido de intensificação de campanhas preventivas para evitar acidentes nos rios do Amazonas deve ser feito nesta quinta-feira (1º), pelo deputado estadual Tony Medeiros (PSL) à Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental.

Ele lembrou que durante a operação feita pela Capitania dos Portos na última semana de fevereiro, pelo menos 110, das 1.158 embarcações periciadas, foram apreendidas por irregularidades. Durante a ação 123 pilotos de jetsky foram repreendidos, por estarem dirigindo sem habilitação.

“Essa operação da Capitania dos Portos merece todo o nosso apoio, inclusive porque se antecipa aos problemas ocorridos no Sul do País e narrados pela imprensa fartamente”, salientou o parlamentar, durante um pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), na manhã desta quinta-feira.

Segundo ele, no dia 1º de junho, a cobrança será oficial devendo, quem não possuir a carteira de habilitação, ser detido e pagar multa.

Tony Medeiros, no entanto, acredita que algumas situações podem ser revistas, principalmente em relação ao homem do interior, para que desigualdades sejam resolvidas e as soluções nasçam de um consenso.

Ele contou situações de pessoas que foram repreendidas de forma correta, mas que foram prejudicadas ao terem que vir até Manaus, sede da Capitania dos Portos, para prestar esclarecimentos. Para o deputado estadual, isso não deveria ocorrer, porque as pessoas deveriam ter como prestar esclarecimentos em locais próximos ao lugar onde moram.   

Na avaliação do deputado, “fica difícil, quase impossível”, para quem mora no interior se deslocar até Manaus no prazo estipulado pela Capitania, que é de oito dias, sem que isso demande tempo e dinheiro.

“Como um homem pode se deslocar de Barreirinha para Manaus sem gastar combustível e se alimentar aqui em Manaus?”, indagou.

A viabilidade de uma pessoa prestar esclarecimentos no local em que mora, também será uma proposta apresentada por Tony Medeiros à Capitania.