Publicidade
Manaus
Manaus

Deputados travam disputa pela presidência da ALE-AM que vai comandar R$ 219 mi em 2013

Com 24 deputados, o próximo presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, mira na influência que terá sobre os 61 prefeitos do interior com vistas às eleições de 2014 02/11/2012 às 09:20
Show 1
Disputa pela presidência da ALE-AM envolve possível alteração na Constituição Estadual para que seja reeditada a reeleição
kleiton renzo Manaus (AM)

A guerra silenciosa travada pelo comando da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) começa a transparecer no plenário. No pano de fundo está o comando de um orçamento de R$ 219 milhões para o ano de 2013. Com 24 deputados, e pouco mais de 2 mil servidores, o próximo presidente, mira na influência que terá sobre os 61 prefeitos do interior com vistas às eleições de 2014.

Os principais atores na disputa é o atual presidente, Ricardo Nicolau (PSD), que apesar de negar, atua nos bastidores para emplacar uma emenda à Constituição do Estado, permitindo a reeleição para a mesa diretora. Na outra ponta, está o vice-presidente, Marcos Rotta (PMDB), que já abriu mão da disputa pela presidência em 2010 em acordo com Nicolau, para que fosse conduzido ao topo do poder este ano.

Com interesse na presidência da ALE-AM aparecem também os deputados Vicente Lopes (PMDB), Sinésio Campos (PT), Chico Preto (PSD), Josué Neto (PSD), Adjuto Afonso (PP), Berlamino Lins (PSD), Marcelo Ramos (PSB), José Ricardo (PT), Luiz Castro (PPS) e Wilson Lisboa (PCdoB), que ontem manifestou intenção de concorrer.

A CRÍTICA apurou que nos bastidores, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que refaz o texto constitucional e permite a reeleição, já segue com 11 assinaturas dos 24 deputados. Para ser aprovada e passar a tramitar na Comissão de Constituição e Justiça e Redação (CCJR) da Casa, a PEC precisa apenas de 16 assinaturas. Com aprovação da CCJR a PEC segue para votação em plenário. Abordado sobre o assunto, o presidente Nicolau disse desconhecer a existência da peça.

“Eu tenho conhecimento que essa lista corre e já poderia ser apresentada, porque precisa apenas de oito assinaturas para tramitar. Mas naturalmente me coloco contra, não pela minha pretensão de ser presidente, mas porque foi minha a emenda que deu fim à instituição da reeleição nesta Casa”, afirmou Vicente Lopes (PMDB).

O deputado David Almeida PSD), apesar de não negar a existência da PEC, deixou escapar que “vários deputados” são a favor da reeleição. “Meu candidato é o deputado Nicolau, se ele puder ser e se viabilizar. Já falei para todos que me procuram. Hoje eu conversei com vários colegas e muitos são a favor (da reeleição), só não se declaram. Eu sou a favor”, declarou Almeida.

No processo eleitoral da Assembleia Legislativa do Amazonas, os interessados podem criar as chapas com oito membros (presidente, 1º vice-presidente, 2º vice-presidente, 3º vice-presidente, secretário-geral, 1º secretário, 2º secretário e ouvidor). O voto dos 24 deputados é secreto, e cada um deve votar uma única vez em um dos candidatos, mesmo que sejam de chapas diferentes.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).