Publicidade
Manaus
Manaus

Desaparecimento em Iranduba: família contesta informações

Segundo Maria dos Santos, tudo não passa de mentira forjada pelas famílias das meninas. “Meu filho não tem ligação alguma com essas coisas, eles estavam tendo um romance. Essas meninas passaram o dia na minha casa, junto com minha família. Não sabíamos que elas tinham fugido, achávamos que elas estavam ali como visita”, disse, enfatizando que “não existe essa história de assédio pelo facebook” 19/10/2012 às 10:00
Show 1
Adriano Andrade foi encontrado por policiais em um balneário conhecido como Paraná de Iranduba, em uma comunidade rural da cidade. Junto com ele estavam às adolescentes
JOELMA MUNIZ Manaus

Maria Brandão dos Santos, 41, mãe de Adriano Santos de Andrade, 18, preso na tarde desta quarta-feira (17), suspeito de ser um dos responsáveis pelo desaparecimento de duas adolescentes no município de Iranduba, localizado na Região Metropolitana de Manaus, afirmou que Adriano está ligado a uma rede de tráfico de mulheres.

Segundo Maria dos Santos, tudo não passa de mentira forjada pelas famílias das meninas. “Meu filho não tem ligação alguma com essas coisas, eles estavam tendo um romance. Essas meninas passaram o dia na minha casa, junto com minha família. Não sabíamos que elas tinham fugido, achávamos que elas estavam ali como visita”, disse, enfatizando que “não existe essa história de assédio pelo facebook”.

A dona de casa sustenta que, por volta das 22h, pediu para seu filho que as meninas fossem levadas para casa, já que o horário é de perigo pelas ruas da cidade. “Eles saíram da minha casa e achei que tinham ido para a residência delas que é próxima a nossa. Mas, meu filho me contou após ser preso, que as meninas ao chegarem próximo do local disseram que não queriam ir para lá, porque as mães a batiam e que queriam fugir. Eles que são jovens ‘sem muita coisa na cabeça’ aceitaram pela aventura”, contou.

A tia de Adriano que estava na residência nas horas em que as meninas estavam no local, Marinice Brandão dos Santos, 31, confirma a história contada pela irmã. Conforme disse em conversa com a reportagem, as meninas não mantiveram relação sexual com seu sobrinho e o amigo dele, conhecido como Petrick, e que está sendo procurado pela polícia.

“Estávamos todos em casa, eu minha irmã, meu marido, meu filho, não existe a possibilidade das terem sido estupradas. Se eles fizeram sexo foi em outro lugar e mesmo assim tenho certeza que foi consentido, já que pelo que observei as meninas eram namoradinhas deles”, frisou.

Para a cabeleireira, a imprensa se deixou levar pelas mentiras contadas pelas mães das jovens. “Somos de uma família humilde, meu sobrinho não tem qualquer condição de levar alguém para Miami”, falou.

 Prisão

Adriano Andrade foi encontrado por policiais em um balneário conhecido como Paraná de Iranduba, em uma comunidade rural da cidade. Junto com ele estavam às adolescentes.

Em depoimento na delegacia do município de Iranduba, as meninas afirmaram que estavam junto com os homens por livre e espontânea vontade e que seu desaparecimento não se tratava de um sequestro.

Primeiras informações

A dupla desapareceu, após dizer para familiares que iriam a uma farmácia comprar medicamentos na tarde da última terça-feira (16) depois que saíram de casa para ir até uma drogaria.

O delegado da cidade, José Elci Barroso explicou que, mesmo, com o consentimento das meninas, Adriano responderá pelos crimes de estupro e corrupção de menores, previstos nos artigos 213 e 218 do Código Penal Brasileiro.