Publicidade
Manaus
ELEIÇÕES

Descontetamento reflete em votos brancos, nulos e abstenções, dizem cientistas

Segundo o cientista político, Carlos Santiago, agora o principal desafio do governador eleito é conquistar a confiança dos eleitores para a participação democrática nos próximos pleitos 28/08/2017 às 08:30
Show foto descontentamento
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Mais de um milhão de eleitores não votaram no segundo turno das eleições suplementares para Governo do Amazonas. Mesmo com a vitória do candidato Amazonino Mendes (PDT), foram contabilizadas 603.914 abstenções, 342.280 votos nulos, 70.441 brancos, contabilizando 1.016.635 no total. O principal motivo dos números, segundo cientistas políticos, é o descontentamento dos eleitores com o cenário da política brasileira.

Analisando também os dados de abstenções, votos nulos e brancos do primeiro turno, o cientista político e sociólogo, Carlos Santiago, afirmou que muitos eleitores ainda acreditam que as eleições diretas possam ser substituídas pelas indiretas. Os números no primeiro turno são 569.501 mil abstenções, 218 mil votos nulos e 61.826 mil votos brancos.

 “Juntando abstenções, nulos e brancos no segundo turno, são mais de um milhão de pessoas que não fizeram escolha por um dos candidatos. Estes números têm muito do descontentamento do povo com a política, o momento que o país passa, além das opções neste segundo turno”, disse Carlos.

Ainda segundo o cientista, a falta de transporte público gratuito para a população também contribuiu com o número elevado de abstenções no Amazonas. “As cidades do Amazonas tiveram abstenções de mais de 40%. Existem moradores de comunidades que passam horas e horas, gastam muito dinheiro para chegar a uma urna. Outro ponto que contribuiu para esses números, é a judicialização do processo da eleição. Muitas pessoas acreditam que as eleições indiretas podem ainda acontecer”, explicou.

Agora o principal desafio do governador eleito, é conquistar a confiança dos eleitores para a participação democrática nos próximos pleitos. “O grande desafio do governador é dar esperança ao povo do Amazonas, melhorar a vida das pessoas, para que na próxima eleição, para que o povo tenha espírito de participação”, destacou o cientista político.

‘Não é alarmante’

O cientista político e sociólogo, Tiago Jacauna, explicou que os números de abstenções não indicam necessariamente o descontentando da população com a política do Amazonas, mas outras possibilidades. “Existem aquelas pessoas com idade acima de 70 anos e entre 16 e 18 anos que são obrigados a votar. As abstenções não representam necessariamente o descontentamento”, comentou.

Sobre os votos brancos e nulos, Tiago afirmou que muitos amazonenses não escolheram um dos candidatos em forma de protesto. “Alguns estão insatisfeitos com a política e o sistema. Já existem aqueles que não querem participar do pleito, por isso não escolhem nenhum dos candidatos”, ressaltou.

O cientista político destaca que os números de abstenções, votos brancos e nulos não são arlamantes. “Esse índice tem aumentado, gera preocupação, pode ser um sinal de descontentamento, mas quando olhamos para outras democracias, como Estados Unidos e Suíça, percebemos que não é arlamente”, completou.

Publicidade
Publicidade