Publicidade
Manaus
TRANSFERÊNCIA

Detentos líderes de massacre em Manaus embarcam para presídios federais

A Seap não informou para quais presídios eles serão conduzidos. Os detentos são apontados como responsáveis pelas mortes no sistema prisional do Amazonas 11/01/2017 às 13:06 - Atualizado em 11/01/2017 às 14:31
Show whatsapp image 2017 01 11 at 12.57.07
Presos embarcaram para presídios federais (Fotos: Márcio Silva)
acritica.com Manaus (AM)

Os 17 detentos apontados como líderes da rebelião que culminou na morte de 56 presos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus – e desencadeou a maior crise do sistema prisional brasileiro desde o massacre do Carandiru, em 1992, quando 111 presos foram mortos – embarcaram no início da tarde de hoje com destino a presídios federais espalhados pelo País.

Os presos foram levados do Compaj e do Instituto Penal  Antônio Trindade (Ipat) e conduzidos ao 1º Batalhão de Choque, na BR-174, de onde seguiram na manhã de hoje para o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes em um caminhão-baú da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Familiares ficaram esperando os detentos e não contiveram as lágrimas durante a saída dos detentos do local.

Uma aeronave da Polícia Federal aguardava os presos na pista. Todos eles, com uniforme da cadeia, foram embarcando escoltados por agentes da PF. Cada um era escoltado por um agente. O processo de embarque foi concluído minutos antes das 13h, com a aeronava decolando às 13h05. A Seap ainda não informou oficialmente para quais presídios os detentos serão conduzidos, mas a produção do programa Alô Amazonas, da TV A CRÍTICA, apurou que o destino dos detentos serão os presídios de segurança máxima de Mossoró (RN) e Campo Grande (MS). 

Conforme a lista divulgada pelo Comitê de Gerenciamento de Crise, dos 17 detentos, 11 deles foram condenados por tráfico de drogas, três por homicídio, um por latrocínio e um por roubo, além de Fábio Palmas de Souza, condenado por tráfico e por homicídio.

Crise carcerária

De acordo com o secretário Pedro Florêncio, os detentos transferidos foram identificados como suspeitos de liderar a chacina durante investigações da Polícia Civil. No dia 1º de janeiro deste ano, 56 detentos foram assassinados no Compaj, na segunda maior chacina da história do País. No dia 2 de janeiro, mais quatro detentos foram mortos na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). A maioria foi morta por decapitação e esquartejamento. Veja abaixo a lista dos detentos transferidos do Compaj e do Ipat.

Antes da chacina, outros 184 detentos fugiram de duas unidades prisionais da cidade: 112 escaparam do Compaj e 72 fugiram do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat). Desde a fuga, 73 foragidos foram recapturados, conforme último balanço divulgado até 14h de ontem (10) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Lista dos transferidos

1. Adailton Farias da Silva (Compaj) – Artigo 121: Homicídio
2. André Said de Araújo (Compaj)  – Artigos 33, 35 e 157: Tráfico de drogas, associação para o tráfico e roubo
3. Cláudio Dayan Felizardo Belfort (Compaj) – Artigos 33, 157 e 16: Tráfico de drogas, roubo, e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito
4. Demetrio Antônio Matias (Compaj) – Artigo 121: Homicídio
5. Eduardo Queiroz de Araújo (UPP) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
6. Fábio Palmas de Souza (Compaj) – Artigos 121 e 33: Homicídio e Tráfico de drogas
7. Florêncio Nascimento Barros (Compaj) – Artigo 157: Roubo
8. Gileno Oliveira do Carmo (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
9. Heuliton Cabral dos Santos (UPP) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
10. Janes do Nascimento Cruz (Compaj) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
11. João Ricardo Santos da Costa (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
12. José Bruno de Souza Pereira (Compaj) – Artigo 157, parágrafo 3º: Latrocínio
13. Lenon Oliveira do Carmo (UPP) - Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
14. Márcio Ramalho Diogo (Compaj) – Artigos 157 e 33: Roubo e Tráfico de drogas
15. Reginaldo Muller Neto (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
16. Rivelino de Melo Muller (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
17. Wilson Guimarães Fernandes (Compaj) – Artigo 121: Homicídio