Publicidade
Manaus
TRANSPORTE COLETIVO

Dez assaltos a ônibus acontecem por dia na cidade de Manaus, aponta Sinetram

Primeiro semestre do ano de 2017 teve registro de 1,8 mil ocorrências de roubo e prejuízo de R$ 510 mil 13/07/2017 às 19:47 - Atualizado em 14/07/2017 às 08:56
Show sinetram
Sinetram defende que o uso só do cartão Passa Fácil evitaria prejuízo às empresas e usuários, além do risco de vida. Foto: Antônio Lima - Arquivo/AC
acritica.com Manaus (AM)

Apenas nos seis primeiros meses desse ano foram registrados 1.815 assaltos em ônibus que operam no sistema de transporte coletivo de Manaus. Uma média de dez assaltos por dia. No total, os empresários do transporte reclamam um prejuízo de mais de meio milhão de reais (R$ 510,7 mil) com os roubos.

Segundo dados do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), todas as nove empresas do sistema sofreram assaltos no semestre. As linhas da  empresa Integração Transportes, que atende a Zona Norte da capital, foram os principais alvos dos criminosos.

De janeiro a junho desse ano,  foram 459 assaltos a coletivos da Integração Transportes, com prejuízo de R$ 149,8 mil, sendo a linha preferida dos criminosos a 560, que faz rota do Terminal 4, no Jorge Teixeira, para o Centro. Segundo os dados, até o mês de junho foram 77 assaltos.

Em segundo lugar, no ranking de empresas alvo, está a Global Green, que atua na Zona Leste. Conforme as estatísticas, a empresa fechou o semestre com 358 assaltos, somente no mês de junho foram 62 registros. Os criminosos roubaram, no total, R$ 95,2 mil de janeiro a junho deste ano.

Alta proposta

Somente no mês de junho foram notificados 354 casos, uma média de 11 assaltos por dia na cidade de Manaus. Para o presidente do Sinetram, Carmine Furletti, a solução para redução nos crimes seria a o pagamento da passagem apenas com os cartões do sistema Passa Fácil. “Estamos empenhados para implementar essa forma de pagamento e dar um basta nesse tipo de crime, assim temos certeza que colaboradores e usuários terão mais tranquilidade para ir e vir”, disse.

Usuários prejudicados

Apesar do prejuízo alto das empresas, usuários do transporte também são prejudicados pelas ações criminosas. A universitária Alessandra Alves, 35, por exemplo, foi roubada quatro vezes em coletivos apenas nesse ano.

“É sempre traumatizante porque eles levam nossos bens, que às vezes ainda estamos pagando, e até agridem ou ameaçam. Já tive quatro celulares roubados só esse ano, dois no mesmo mês e o último eu ainda estou pagando”, contou a estudante.

A doméstica Denize Mota, 55, também foi vítima de assaltantes esse ano. O último assalto  foi no dia 5 de maio, no Distrito Industrial, na Zona Leste. “Eu tinha acabado de entrar no ônibus quando eles anunciaram o assalto, abriram uma mochila e foram tomando todos os celulares e relógios das pessoas. Essa é a realidade de quem anda de ônibus”, disse a mulher.