Publicidade
Manaus
Manaus

Direção do Sindicato dos Rodoviários deve voltar ao comando de junta governativa

O corre que o TRT se antecipou e concedeu liminar com base no protocolo do recurso, que não havia tramitado em primeiro grau e, hoje, a Justiça decidiu por não admitir o recurso interposto pela antiga diretoria solicitando o retorno à direção da entidade 18/05/2012 às 20:33
Show 1
Direção do Sindicato dos Rodoviários passará por nova mudança
acritica.com Manaus

A Justiça do Trabalho decidiu não admitir o recurso interposto pela antiga diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo de Manaus objetivando a recondução dos membros à direção da entidade. A decisão invalida a liminar concedida, ontem (17/05), pelo Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT), em favor do ex-presidente Josildo Oliveira e demais integrantes da gestão anterior, os quais chegaram a tomar posse, mas devem ser destituídos novamente na próxima semana, após a publicação a decisão.

O corre que o TRT se antecipou e concedeu liminar com base no protocolo do recurso, que não havia tramitado em primeiro grau. Sendo assim, a decisão de hoje torna a ação sem objeto.

O Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam) foi oficiado nesta sexta-feira (18/05) sobre a decisão, que deve ser publicada na próxima segunda-feira no Diário da justiça Eletrônico.

Decisão

Segundo decisão da juíza Elaine Pereira da Silva, fica mantido Francisco Bezerra, o qual estava à frente da junta governativa da entidade desde dezembro do ano passado, como presidente do sindicato e fixa prazo de 180 dias, “a contar desta data”, sob pena de destituição imediata, para que se proceda à nova eleição de diretoria. E, embora tenha tirado a presidência de Josildo Oliveira, ele é remanejado ao cargo de secretário da entidade.

Posse

A posse de Josildo Oliveira e demais membros da antiga diretoria ocorreu ontem mesmo, após a concessão da liminar pelo TRT. Contudo, ele só poderia tomar posse, de fato, após publicação da decisão, a qual não ocorreu ainda.

A equipe de acrítica.com tentou contato com Josildo Oliveira para comentar o caso, bem como com o titular da junta governativa, Francisco Bezerra, mas não obteve retorno até a conclusão da reportagem.