Publicidade
Manaus
Manaus

‘Discussão’ política acaba em agressão na Zona Leste de Manaus

Homem acusa funcionário de vereadora, candidata a reeleição, de jogar extintor e quebrar o vidro do seu carro. Vereadora nega que o ‘agressor’ seja funcionário dela 04/08/2012 às 14:21
Show 1
Carlos Condera alegou que o cantor Pablo Fernandes jogou um extintor de incêndio no vidro traseiro do seu carro
acritica.com Manaus

Carlos Condera, 26, teve o vidro traseiro do carro quebrado na manhã deste sábado (4), quando circulava pela Zona Leste de Manaus. O veículo foi atingido por um extintor de incêndio. Carlos acusa o cantor Pablo Fernandes, de ter jogado o dispositivo no seu veículo por questões políticas, já que o carro dele tem um adesivo do vereador e candidato a reeleição, Arlindo Junior.

O veículo do cantor (um modelo Renault Clio de cor azul escuro e placa não identificada) estava com adesivo da vereadora e também candidata a reeleição, Socorro Sampaio, para quem ele trabalha, de acordo com Carlos. A vereadora Socorro disse que o cantor não trabalha para ela e é apenas um simpatizante de sua campanha.

“Eu estava passando lá no Grande Vitória, atrás do Baratão da Carne quando o Pablo passou por mim e começou a me xingar e falar mal porque eu estava com o adesivo do Arlindo Junior. Ele esperou eu passar um pouco e pegou o extintor do carro dele e jogou no meu carro”, detalhou.

Condera estava acompanhado da esposa e de dois filhos, um de três e outro de oito anos, no carro, um veículo modelo Gol de cor vinho e placa JWO 6628. As crianças foram atingidas na cabeça com estilhaços de vidro.

“Assim que aconteceu isso, o Pablo fugiu e eu levei minha esposa e meus filhos pra casa, para ela ver direito e lavar a cabeça dos meninos”, contou revoltado.

Carlos disse que procurou um distrito policial para registrar um Boletim de Ocorrência (B.O) nas proximidades de onde aconteceu o ‘acidente’, mas não encontrou delegado plantonista para registrar o B.O.

“Isso é uma falta de respeito, eu estou revoltado. Fiz contato com a assessoria da vereadora, porque ela vai ter que arcar com o meu prejuízo, já que ele é funcionário dela”.

A reportagem do acritica.com entrou em contato com a vereadora e ela foi taxativa ao dizer que o cantor não trabalha para ela na campanha política.

“Eu não tenho ativistas de campanha. O Pablo é um artista da terra e simpatizante. Ele não trabalha conosco”, relatou.

A vereadora disse não ter motivo para se responsabilizar com o prejuízo que Condera exige que ela pague, já que o cantor não é seu funcionário e finalizou dizendo: “Sou contra qualquer tipo de violência. Nesse caso, os dois erraram. O Pablo é adulto e responsável pelos seus atos”.

Nega agressão

Assim como a parlamentar, Pablo afirmou não ter vinculo empregatício com a mesma. De acordo com o cantor, a versão contada por Condera não é a verdadeira, já que segundo ele é quem teria iniciado a briga.

“Não agredi essa pessoa. Não tenho vínculos com a vereadora, sou apenas simpatizante da Conceição. Fui ao Instituto Médico Legal, para realizar um exame de corpo e delito para provar que fui agredido, tenho testemunhas que também podem confirmar o que digo”, explicou.