Publicidade
Manaus
CHACINA DA COMPENSA

Disputa entre João Branco e Zé Roberto pode ter motivado chacina da Compensa

Um mês após início de investigações da matança no CSU da Compensa, inquérito não indiciou suspeitos e apontou motivação 16/01/2018 às 19:57 - Atualizado em 17/01/2018 às 08:42
Show zcid011702a p01
Foto: Jander Robson
Joana Queiroz Manaus (AM)

Com um mês e dois dias de investigações da força-tarefa, o inquérito da chacina do Centro Social Urbano (CSU) do bairro da Compensa, Zona Oeste de Manaus, ocorrida em 14 de dezembro, ainda não indiciou nenhum suspeito e apontou a verdadeira motivação. Em decorrência da ação criminosa morreram Michel de Sena Passos, 33; David Costa da Silva, 27; Ronaldo de Oliveira Souza, 23; Edilson Xavier Diniz Júnior, 24; José Diego Sena Serrão, 17; e Rodrigo de Oliveira Souza, 24. Pelo menos outras novas pessoas ficaram feridas.

Nesta terça-feira (16), o subsecretário de Segurança Pública, Amadeu Soares, disse que as investigações estão avançando. Conforme Soares, tudo leva a crer que o ocorrido aconteceu por conta de uma disputa dentro do grupo criminoso Família do Norte (FDN). A grande motivação seria uma briga pelo poder entre o traficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, e o José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, que está tentando passar o comando da organização para o filho Luciano Fernandes.

Amadeu Soares disse que dois dos alvos da chacina eram os gerentes de Luciano, e que um dos objetivos da ação era tirar toda a proteção do filho de Zé Roberto e deixá-lo vulnerável. Luciano estava preso na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e teve que ser transferido para outra unidade prisional por medidas de segurança, pois estava ameaçado de morte.

Chacina como represália a assassinato

Outra linha de investigação da polícia é que a chacina foi uma represália ao assassinato do ex-presidiário George Alberto Barreto, 30, “Buiú”, morto com quatro tiros, na tarde do mesmo dia da chacina, após ser perseguido por um homem, ainda não identificado, em um terreno próximo ao Residencial Mestre Chico, bairro Cachoeirinha, na Zona Centro-Sul.

De acordo com o subsecretário Amadeu Soares, o clima no bairro da Compensa já voltou a normalidade. “O problema não é o bairro Compensa, mas essa disputa de poder dentro da facção que nasceu lá”, disse.

Publicidade
Publicidade