Publicidade
Manaus
Manaus

Doenças e mortes continuam assombrando crianças indígenas do Atalaia do Norte

Situação dos indígenas eleitores, abandonados na sede do município, provocou uma série de problemas e três novos casos de mortes 20/10/2012 às 10:04
Show 1
Indígenas ficaram por mais de 30 dias morando em canoas, em condições precárias, o que teria provocado doenças
Mariana Lima ---

Três novos casos de diarreia foram registrados em aldeias mayoruma e canamari, a 800 quilômetros do Município de Atalaia do Norte (a 1.138 quilômetros de Manaus), informou nesta sexta-feira (19), a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Conforme a Sesai, três crianças indígenas já morreram, vítimas da mesma doença após ficarem em situação insalubre por mais de 30 dias na sede de Atalaia do Norte.

Segundo dados de lideranças indígenas, aproximadamente 2 mil índios saíram de suas aldeias na região do alto Javari para votar na sede de Atalaia do Norte. Denúncias feitas pelo líder dos índios do Vale do Javari, Jader Marubo, os indígenas foram aliciados pelo candidato eleito Nonato Tenazor (PDT) que teria trocado votos por gasolina. Tenazor nega a trama.

O coordenador da Sesai, Heródoto de Salles, afirmou que na noite de ontem foram confirmados três novos casos de diarreia envolvendo uma criança da etnia canamari e outras duas mayoruma que estão nas aldeias.

“Essas crianças e os demais índios dessas aldeias estão sendo assistidos e monitorados por funcionários da Sesai e demais parceiros. Eles têm recebido remédios e assistência médica da Força Nacional de Saúde, que está nos ajudando”, disse Heródoto a A CRÍTICA por telefone.

Ontem, a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), afirmou que o órgão não enviou ajuda para o município, porque a Funai não encaminhou lista com as demandas necessárias para atender aos indígenas.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).