Publicidade
Manaus
Manaus

Dois integrantes de uma quadrilha que cortava os corpos das vítimas após assaltos são presos pela Polícia Civil

A quadrilha matava os condutores das embarcações roubadas, cortava os corpos para retirar os órgãos e depois jogava no rio 16/03/2013 às 20:05
Show 1
Adriano Vidal, 33, e Glemerson Lima, 36, apontado como o líder da quadrilha, foram presos durante perseguição
acritica.com Manaus, AM

Uma das equipes de policiais do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), coordenada pelo diretor do setor, delegado Emerson Negreiros, prenderam nessa sexta-feira (15) dois homens acusados de fazer parte de quadrilha que tem como alvo condutores de pequenas embarcações na área do São Raimundo.

Glemerson Melgueiro de Lima, 36, apontado como o líder da quadrilha e Adriano Vidal Guimarães, 33, foram presos durante perseguição pela rua Israel, bairro Jesus me Deu, Zona Norte de Manaus. No momento da ação, houve troca de tiros entre policias civis e os homens e Glemerson acabou atingido, levado ao Pronto Socorro João Lúcio Machado e não corre risco de morte.

De acordo com o delegado Emerson Negreiros, a quadrilha, composta aproximadamente por seis pessoas, estava sendo investigada há praticamente um ano. Glemerson Melgueiro de Lima era procurado da Justiça, com um mandado de prisão em aberto e outros registros por roubo.

Segundo Negreiros, a quadrilha agia da seguinte forma. “Eles solicitavam frete dos donos de pequenos barcos no São Raimundo e durante o percurso anunciavam o assalto. Em seguida matavam os condutores das embarcações para roubar o motor e posteriormente colocavam as embarcações à venda. As vítimas tinham os corpos abertos, os órgãos retirados e jogados no rio”, explicou Negreiros.

Adriano está preso no 5º DIP e Glemerson se recupera no hospital. Eles serão indiciados por Latrocínio e nas próximas horas levados para a cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde ficarão à disposição da Justiça.  As investigações em torno da quadrilha estão em andamento. Outras quatro pessoas, supostamente envolvidas no esquema, estão sendo procuradas pela Polícia Civil.