Publicidade
Manaus
Superação

Sonho de conseguir conquistar uma vaga na universidade pública ‘não tem idade’

Em cursinhos e escolas, adolescentes testam seus conhecimentos e adultos aproveitam para retomar os estudos 07/05/2016 às 19:29 - Atualizado em 08/05/2016 às 15:32
Silane Souza Manaus (AM)

Cursar uma universidade pública. Esse é o objetivo dos estudantes que estão na reta final do ensino médio e vão fazer as provas do  Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cujas inscrições começam na segunda-feira.  Mas, entre os candidatos, há adolescentes com 16 anos ou menos que veem no exame uma forma de testar o conhecimento e, também, gente que deixou a sala de aula há muitos anos, mas quer recuperar o tempo perdido e conquistar o tão sonhado diploma. Os candidatos com mais de 30 anos, inclusive, eram a maioria entre os que fizeram o exame no ano passado. 

A funcionária pública Maria do Socorro de Souza, 53, é uma das candidatas com esse perfil. Há anos longe da escola, ela decidiu voltar a estudar e cursar uma faculdade. Maria é aluna do 1º ano do ensino médio em uma escola da rede pública estadual e assiste, todos os sábados, aos aulões do Enem para se preparar para as provas. “Estudo mais as matérias em que tenho mais dificuldade, como matemática e física”, conta Maria, que perdeu a mãe no parto e foi criada pelo pai, que por viver viajando dificultou a conclusão dos estudos. “A gente nunca parava em um lugar, por isso nunca concluí os estudos, mas agora penso em fazer biologia”, revelou.

Quase 40 anos mais jovem que Maria, a estudante do 1º ano do ensino médio Caroline Manami Yokota, de 14 anos, também está se preparando para encarar as provas do Enem. Ela, que almeja uma vaga no curso de engenharia da computação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), começou a preparação mais cedo. “Vou fazer o Enem este ano para chegar ao 3º ano mais segura”, disse a aluna do Idaam, onde o estudo é focado para o vestibular desde o 9° ano, revela. “Este ano talvez não consiga boa pontuação, mas no terceiro acredito que conseguirei”. 

No Idaam, até quem está no 9º ano do ensino fundamental faz o Enem. O estudante Pedro Henrique da Silva Thomaz, 14, é um dos alunos que se prepara para as provas. “Acredito que com essa preparação terei mais tempo para me adaptar e conseguir boas notas quando tiver no 3º ano. Foi assim com meu irmão”, destaca. 

Vitória Marques, 15, que está no 2º ano do ensino médio do Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM) Waldocke Fricke de Lyra, no Parque São Pedro, Zona Oeste, também vai fazer o Enem pela primeira vez este ano para adquirir experiência. “A escola  começa a nos preparar para as provas do Enem desde o 9º ano. Estudamos em casa e na sala de aula, reforço aos sábados e apoio dos professores”, afirma.

Aqueles que já concluíram o ensino médio também não perdem tempo. A estudante Késia Fernando Oliveira Leão, 18, concluiu os estudos no ano passado e conseguiu esse ano uma bolsa integral para o curso de Biomedicina pelo Prouni além de passar para Economia na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), escolheu a instituição pública, no entanto, vai fazer o exame novamente na tentativa de conseguir a vaga no curso sempre almejado. “Quero fazer Direito, para isso, estudo em casa, inclusive por meio do Hora do Enem, que tem vídeoaulas muito bons”, relatou.

Em números

3.372 estudantes amazonenses dos 156,8 mil que fizeram o Enem em 2015 eram menores de 16 anos; 7,6 mil tinham 16 anos; 17,5 mil, 17 anos; 17,9 mil, 18 anos; 14 mil, 19 anos e 27,8 mil mais de 30 anos.