Publicidade
Manaus
Manaus

Duas pessoas são assassinadas na noite de sábado para domingo na Zona Leste de Manaus

Em um dos casos, moradores disseram que acreditam que a vítima foi morta por ter denunciado policiais militares por tentativa de estupro à Corregedoria 19/04/2015 às 14:04
Show 1
Tamara Lopes da Silva morreu em frente a uma parada de ônibus e os assassinos fugiram.
Kelly Melo ---

Duas pessoas foram assassinadas com mais de sete tiros na Zona Leste, em situações distintas, na noite de sábado para domingo. Em um dos casos, moradores disseram que acreditam que a vítima foi morta por ter denunciado policiais militares por tentativa de estupro à Corregedoria.

Segundo testemunhas, Tamara Lopes da Silva,  21, a “Loira” estava bebendo em um bar com o namorado e amigos na avenida Cosme Ferreira, no Zumbi 2, na Zona Leste, quando dois homens em uma motocicleta descaracterizada chegaram  no local. “Eles mandaram os rapazes saírem primeiro e depois disseram que só queriam ela”, contou um morador que preferiu não se identificar. Ele disse que Tamara chegou a correr, para tentar fugir, mas um dos homens conseguiu alcançá-la e efetuou pelo menos setes tiros. Ela morreu em frente a uma parada de ônibus e os assassinos fugiram.

Moradores das proximidades relataram que Tamara  tinha envolvimento com o tráfico  de drogas e que havia sido presa recentemente. Eles disseram que uma das suspeitas é que ela tenha sido morta a mando de policiais que foram denunciados por ela, por tentativa de estupro. “Na última vez que ela foi presa, os policiais tentaram estuprá-la dentro da viatura, mas ela denunciou o caso da Corregedoria. As pessoas aqui acham que essa tenha sido a motivação para o crime”, contou outro vizinho, que também preferiu não ser identificado.  No entanto, a versão não foi confirmada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que está investigando o crime. Para eles, a autoria ainda é desconhecida.

A reportagem foi ao endereço da vítima, na rua João Bosco Bornier, no Zumbi 2, mas não localizou nenhum parente que pudesse falar sobre o caso.

Morto na frente de casa

O cavador de poço artesiano, Alex Branco Pinto, 28, o “Catatau”,  também foi assassinado com sete tiros na madrugada de sábado (18),  na rua Margarida, bairro Tancredo Neves,  na Zona Leste.  Segundo familiares da vítima,  o crime aconteceu em frente a casa onde ele morava.

O pai da vítima,  Antônio  Gonçalves Pinto,  58,  não  soube explicar o que teria motivado o crime,  mas falou que todos da casa estavam dormindo quando dois homens chamaram Alex.  Ele foi atender o chamado e foi surpreendido pelos tiros.  As balas acertaram o pescoço, as costas e no peito. Ele morreu na hora. No local, os moradores disseram apenas que ouviram os tiros mas ficaram com medo de ver o que estava acontecendo.  

A família não tem suspeitas de quem teria cometido o crime, nem qual seria a motivação.