Publicidade
Manaus
Manaus

Eduardo Braga rebate declarações de Amazonino Mendes

Senador reagiu às afirmações de que ele agiu como imperador e se tornou vitorioso por meio de ações não recomendáveis  17/12/2012 às 08:46
Show 1
Senador Eduardo Braga
MARIANA LIMA ---

O senador Eduardo Braga (PMDB) rebateu as críticas que recebeu do prefeito Amazonino Mendes (PDT) na sexta-feira. Braga, que é ex-aliado de Amazonino, classificou o prefeito de Manaus como ditador e afirmou que a coisa mais indigna feita por Amazonino foi ter vendido o serviço de água duas vezes.

A CRÍTICA publicou, no sábado, entrevista com Amazonino onde ele acusa Eduardo Braga de ter endividado o Estado para construir obras que o reelegeram. Disse também que o senador se tornou “vitorioso” por meio de ações que ele não recomendaria. O prefeito chamou Eduardo de imperador e de alguém que “não tem equilíbrio com a coisa pública”.

No sábado, ao ser questionado sobre as declarações do prefeito, o senador citou escândalos protagonizados por Amazonino. “Eu nunca me envolvi com compra de voto para a reeleição, por exemplo, eu nunca me envolvi em situações que muitas vezes a gente viu lamentavelmente o Amazonas ser envolvido por conta do Amazonino”, disse Eduardo Braga.

O senador negou ter agido como imperador quando esteve à frente do Governo. “Eu fui o imperador do bem, e isso não tem problema. Eu não sou o mal menino. O mal menino está posto há anos e historicamente. Se ele quer me chamar de imperador do bem por ter construído 30 mil casas populares, ter construído escolas de tempo integral, tirado as pessoas do igarapé. Ele foi governador por três vezes e por que não tirou as pessoas de dentro dos igarapés? Faltou tempo ou dinheiro? Não! Ou ele não sabia fazer ou não teve vontade de fazer”, afirmou.

Braga disse que o prefeito está no “fim da carreira política” e comentou que quando Amazonino foi governador atuou com o ditador. “Amazonino cometeu um crime gravíssimo no final da carreira política dele. Distribuiu moto-serra, cometeu crime ambiental e ainda acabou com a polícia. Você imagina um governador acabar com a polícia? Isso é um ditador. O Amazonino se supera pois como governador conseguiu acabar com a polícia, dizer que médico era que nem sal e tinha em toda esquina, além de, durante um debate com uma senhora do povo, dizer ‘então morra’. Isso é ser ditador”, disse.

A respeito da acusação de endividamento do Estado para se manter no cargo de governador, Braga afirmou: “Eu sucedi o Amazonino duas vezes na prefeitura e no Estado e ele sabe como quebrou a prefeitura e o Estado e eu tive que consertar. Mas eu sou bom caráter e não fico falando essas coisas por aí”, afirmou. “A coisa mais indigna que o Amazonino fez em sua carreira política foi ter vendido a água duas vezes. Toda a vida pública dele não conseguiu resolver o problema da água e isso é vergonhoso”, afirmou o senador.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).