Publicidade
Manaus
Mesada

Especialistas afirmam que a educação financeira começa na infância

Aprenda a conversar sobre dinheiro com os filhos e entenda como isso pode contribuir com o consumo mais consciente dos adultos 12/02/2017 às 15:26
Show ceia
Escola CEIA, no bairro Alvorada, oferece a disciplina de educação financeira para os pequenos para ensinar boas práticas (Foto: Clóvis Miranda)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Educação financeira infantil é um tema que conquista cada vez mais importância para os pais. Segundo pesquisa realizada em 2016 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), apenas 41% dos brasileiros conseguem fechar o mês com dinheiro sobrando. O alto nível de consumismo observado entre as crianças e os jovens e o modismo da ostentação alertam sobre os fatores que estão contribuindo para aumentar esse índice.

A mamãe do Edmylson Rosas, Ivone Rosas, conta que há dois anos ele estuda numa escola com aulas de educação financeira e diz como está sendo importante educar seu filho financeiramente e a evolução dele.

“Uma criança educada financeiramente aprende a ser menos consumista, a economizar em casa como a água na hora do banho e energia elétrica, a estabelecer objetivos e poupar para alcançá-los, a ser menos egoísta como doando aquilo que não quer mais. E, ainda, fica menos exposta a publicidade, que é tão presente no nosso dia-a-dia”, ressalta.

Em parceria com o trabalho desenvolvido pela equipe pedagógica da Escola CEIA, em casa a mamãe do Edmylson também ensina aplicando quatro pilares: diagnosticar, sonhar, orçar e poupar.

“Edmylson não recebe mesada por mês. O dinheiro que ele recebe dos pais é semanal e é direcionado ao cofrinho dele. Às vezes ele recebe dinheiro da madrinha, das tias ou dos avôs e ele mesmo já sabe e, ao receber o valor, agradece a quem lhe deu e, em seguida já pede: mãe, vamos lá colocar o dinheiro no cofrinho”, conta.

Para a educadora financeira Glace Galúcio, os primeiros seis anos de vida são fundamentais para a formação do caráter do ser humano. Recentes pesquisas da neurociência oferecem evidências de que acontecimentos precoces de natureza física, emocional, social e cultural permanecem inscritos por toda a vida.

“A primeira infância é importante porque nela se estruturam as bases fundamentais do desenvolvimento humano, tanto físicas como psicológicas sociais e emocionais, as quais vão consolidando-se e aperfeiçoando-se nas etapas seguintes de desenvolvimento”, destaca Galúcio.

E salienta ainda como é importante interferir enquanto educadores, pais, tios, avós, bisavós ensinando boas práticas com o dinheiro.

pontos

  •  Criança educada financeiramente se torna menos consumista.
  • Aprende a estabelecer e alcançar objetivos.
  • Começa a economizar em casa como apagar as luzes e desligar a torneira de água.
  •  Fica menos exposta a publicidade.
  •  Aprende a importância de compartilhar, doar e reciclar.
  • Torna-se exemplo aos pais.

Fonte: Glauce Galúcio.