Publicidade
Manaus
Manaus

Eletricitários do Amazonas vão paralisar atividades por 72 horas em ato grevista

Os eletricitários paralisarão seus serviços nesta quarta, quinta e sexta-feira. Com a possibilidade de ser por tempo indeterminado 03/07/2012 às 12:44
Show 1
Outro serviço que poderá ser prejudicado pela paralisação é a operação das atividades, que vai ter apenas 30% do seu quadro ativo
acritica.com Manaus (AM)

Após discussões com a empresa Eletrobras Amazonas Energia, os trabalhadores resolveram paralisar os serviços durante três dias (quarta, quinta e sexta-feira). A mobilização acontecerá em frente à sede da empresa, na Avenida Sete de Setembro, a partir das 7h da manhã, conforme as informações da categoria.

“O maior motivo dessa paralisação é que a Empresa não quer fechar um Acordo de Trabalho digno, não quer conceder o ganho real e muito menos fazer a extensão do plano de saúde para os aposentados”, informou o sindicato.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Urbanitários do Amazonas, no qual são associados os trabalhadores em questão, José Alberto de Lima Borges, a empresa está suportando vários terceirizados. “A Empresa está abarrotada de empresas e empregados terceirizados. Um Acordo Coletivo de Trabalho que geralmente é fechado no mês de maio, desta vez não se tem nem previsão do fechamento”, afirma  o presidente do sindicato.

Borges informou que a decisão de paralisar partiu da classe trabalhadora em Assembleia Deliberativa que aconteceu no dia 28 de junho. Ele presidiu a Assembleia e por decisão unânime da categoria decidiu que todos os serviços serão paralisados.

Prejuízos

Outro serviço que poderá ser prejudicado pela paralisação é a operação das atividades, que vai ter apenas 30% do seu quadro ativo. “Entre o setor de manutenção e operação existe um empregado que faz a ponte entre eles, é o controlador, é ele quem define o que está parado e o que deve ser feito, sem esse profissional é impossível a Empresa praticar qualquer serviço”, explica Lima.

O Distrito Industrial também pode ser prejudicado, pois a transmissão de energia que é desenvolvida em Balbina, na Usina I (localizada no bairro Aparecida) e na Usina II (localizada no bairro Mauazinho), também paralisarão seus serviços.

Outro lado

A reportagem do acrítica.com entrou em contato com a Eletrobras Amazonas Energia para esclarecimentos. A empresa vai enviar uma nota de posicionamento, após levantamento das informações.