Publicidade
Manaus
Manaus

Em greve, docentes da Ufam decidem manter vestibular no interior do Amazonas

O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (3) em coletiva de imprensa na sede Associação dos Docentes da Ufam (Adua). Já os técnicos administrativos realizarão Assembleia Geral também nesta terça-feira para análise da categoria 03/07/2012 às 11:33
Show 1
Professores da Ufam anunciaram decisão em coletiva
acritica.com Manaus (AM)

Os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em greve por tempo indeterminado, decidiram manter o Processo Seletivo Macro de Verão (PSMV) no interior do Estado mediante algumas ressalvas.

O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (3) em coletiva de imprensa na sede Associação dos Docentes da Ufam (Adua). Já os técnicos administrativos realizarão Assembleia Geral também nesta terça-feira para análise da categoria. O vestibular no interior possui 4.643 inscritos para preenchimento de 767 vagas.

Durante a coletiva, os docentes anunciaram ainda que realizarão ações unificadas com os demais servidores federais em greve. A primeira atividade conjunta está prevista para a próxima sexta-feira (6).

Vestibular

No dia 28 de junho, os técnicos da Ufam decidiram, em assembleia, pedir a suspensão do PSMV, previsto para os dias 8 e 9 de julho, nos cinco campi do interior: Itacoatiara, Parintins, Humaitá, Benjamin Constant e Coari. Na última sexta-feira (29), a Comissão Permanente de Concursos (Convest) solicitou a Comissão de Ética e Essencialidades do Comando Local Unificado da Greve (CLUG) a permissão para que se mantenha o vestibular. O pedido da Convest foi analisado na tarde desta segunda-feira (2) pelo CLUG, que é formado por professores, técnicos e estudantes da Ufam.

Ressalvas

A Comissão de Ética e Essencialidade do CLUG aprovou a manutenção do vestibular com condições em que os candidatos, ao ingressar nas salas de realização das provas, recebam impresso uma carta de esclarecimento sobre os reais motivos da greve; que o fiscal de sala faça a leitura pública da mesma (antes do início das provas); que os candidatos sejam convidados a assinar um abaixo assinado, requerendo agilidade do governo federal na negociação com os trabalhadores federais em greve (que estará disponível na saída do local de prova, com um membro do Comitê Local de Greve) e que não seja homologado e divulgado o resultado final do processo seletivo antes do término da greve.

Ato

A greve nacional dos professores das universidades públicas brasileiras completou um mês no último dia 17 de junho. No total, 56 Instituições Federais de Ensino (Ifes) de todo o País que estão com suas atividades suspensas.