Publicidade
Manaus
Manaus

Em Manaus, jovem de 16 anos acusa policiais militares do Ronda no Bairro de estupro

Estudante teria entrado em veículo do programa Ronda no Bairro para denunciar roubo e diz que "apagou" dentro da viatura após beber água oferecida pelos PMs 20/08/2014 às 09:16
Show 1
A violência teria acontecido numa viatura do Ronda no Bairro, em veículo que deveria estar a serviço da população
Joana Queiroz ---

Uma adolescente de 16 anos de idade afirma ter sido estuprada por uma dupla de policiais militares do programa Ronda no Bairro, no conjunto Nova Cidade, Zona Norte de Manaus. Segundo o relato da jovem, o caso aconteceu na tarde da última segunda-feira, 18, depois dela ter sido assaltada por um casal que estava em uma motocicleta e ter chamado a polícia para tentar pegar os ladrões. O exame de corpo de delito comprovou que ela foi estuprada e provavelmente drogada.

O pai da adolescente registrou a ocorrência na Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA), onde foi instaurado inquérito policial para identificar a viatura e os policiais que estão sendo acusados pela estudante. Ainda em estado de choque a adolescente ainda não conseguiu prestar depoimento.

Segundo o relato do pai, a adolescente estava indo para a escola quando foi abordada por um casal em uma motocicleta que a obrigou a entregar a bolsa. Um vizinho viu o acontecimento por meio das câmeras de segurança da casa dele saiu para socorrer a estudante. Os dois ainda seguiram os ladrões, mas não conseguiram alcançá-los.

Ronda

Após o assalto, a adolescente pediu ao vizinho para deixá-la próximo da escola pois decidira assistir às aulas. Enquanto isso, um outro vizinho acionou a Polícia Militar. A jovem relatou que estava na praça, por volta das 15h, quando apareceu a viatura e um dos policiais perguntou se era ela que tinha sido assaltada. Ao confirmar o fato, adolescente, que estava trêmula e muito nervosa, foi convidada a entrar na viatura para ser encaminhada a uma delegacia. No veículo, um dos policiais a ofereceu um copo com água e assim que ela bebeu “apagou”. Não soube mais de nada.

A adolescente só foi encontrada por uma colega, caminhando por uma das ruas do conjunto, desorientada e chorando muito. Ela a levou para a sua casa, deu banho, vestiu roupas limpas e em seguida avisou a família.

Por meio da assessoria, o comandante da PM Almir David disse que tomou conhecimento por meio da imprensa. Ele determinou que o caso fosse apurado administativamente para confirmar a ocorrência e identificar os suspeitos.