Publicidade
Manaus
Polícia, Assassinatos, acerto de contas

Em uma hora, polícia registra três homicídios em Manaus

Crimes foram praticados com armas de fogo, e dois dos casos estariam relacionados ao tráfico de drogas  22/02/2012 às 15:55
Show 1
Imagens do pedreiro antes do desentendimento com a esposa que resultou na morte dele
Síntia Maciel e Thiago Monteiro Manaus

Em uma hora três homicídios foram registrados pela polícia, nessa terça-feira (21), em Manaus, com intervalos de 40 minutos entre cada um deles. Em apenas um dos casos tanto a vítima, quanto a autoria não estão identificados. Os crimes serão investigados pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), localizada no bairro Tancredo Neves, Zona Leste.

O primeiro crime teve como vítima o ajudante de pedreiro Ismael Dias de Souza, 42, o “Fininho”, morto a tiros dentro de casa, na rua Santa Rosa, no conjunto Ben Hur, Zona Norte de Manaus, por volta das 23h.

A autoria do crime é atribuída à companheira da vítima, a dona de casa Maria Augusto Dárcio, 57, que está foragida.

Relatos de vizinhos do casal dão conta de que as brigas na residência eram constantes, muitas vezes chegando a agressões físicas, e até mesmo na prisão de Ismael. Entretanto, Maria Augusto e o ajudante de pedreiro acabavam se reconciliando.  

Nessa terça-feira à noite, conforme os vizinhos, o casal estaria ingerindo bebida alcoólica, quando de repente foi ouvido o barulho de tiros oriundos da residência do casal.  

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado até o local, mas Ismael já estava morto. A polícia também esteve no lugar, porém Maria Augusto já havia fugido.

Há uma semana Ismael teria sido preso por lesão corporal, mas após pagar fiança já estava novamente na residência do casal.  

Sem identificação
Meia hora após a morte de Ismael, o corpo de um homem até o momento não identificado, foi encontrado nos fundos da casa 317, localizada na rua Diamantina, no bairro Grande Vitória, Zona Leste de Manaus.

A vítima aparenta ter entre 20 e 25 anos de idade, é moreno, magro, tem uma tatuagem de dragão no braço esquerdo que vai até o peito, traja uma camisa de cor preta e foi morta com três tiros no pescoço, tórax e abdome.

A autoria do crime é desconhecida da polícia, que não descarta a possibilidade de a vítima está envolvida com o tráfico de drogas.

Acerto de contas
Por volta das 23h40, Andréia Silva de Oliveira, 26, foi alvejada a tiros no pescoço, tórax, abdômen e no ombro, na rua São João, no bairro Compensa 2, Zona Oeste de Manaus.  

Policiais militares que atuam na referida área informaram que a vítima era mulher de um traficante da Compensa, e quem deveria ter sido morto era o irmão do referido traficante.

No velório de Andréia, os familiares preferiram não informar o nome do marido dela, e nem do suposto cunhado da vítima, por temerem represálias.

Entretanto, moradores da rua São João, onde ocorreu o crime, disseram que Andréia  traficava drogas, na Compensa e que ela não seria casada. Ainda conforme os moradores, um irmão e a mãe da suposta traficante já teriam sido mortos, por conta do tráfico de entorpecentes.