Publicidade
Manaus
Manaus

Empresa amazonense participa de evento de 'e-learning' no Maranhão

Para a diretora-administrativa da Jobast Soluções em e-Learning, Tula Campos, estar presente neste congresso internacional é importante, principalmente, pela abrangência do evento 24/09/2012 às 16:47
Show 1
Este ano, a empresa amazonense participa do evento como palestrante e expositora
acritica.com Manaus

O 18º Congresso Internacional de Educação à Distância, que está acontecendo em São Luís, no Maranhão, terá a participação de uma empresa amazonense nos dias 25 e 26 deste mês: a Jobast Soluções em e-Learning. Entre os temas abordados por representantes da empresa no evento estão “mecanismos que possibilitam a chegada, às localidades mais afastadas da Amazônia, da educação de qualidade”. Além de palestrante, a Jobast também fará o papel de expositora.

Os professores Carlos Jennings e Dércio Luiz Reis ministrarão, amanhã (25/09), a palestra "O ensino baseado em plataforma tecnológica como alternativa para formação na Amazônia". Já a professora Sandra Beltran Pedreros falará, na quarta-feira (26/09), sobre o "Ensino presencial em plataforma tecnológica: fazendo polidocência na Amazônia".

Para a diretora-administrativa da Jobast Soluções em e-Learning, Tula Campos, estar presente neste congresso internacional é importante, principalmente, pela abrangência do evento. "Trata-se do maior evento de ensino à distância da América Latina, reunindo diversas empresas nos mais variados setores que performam as atividades de e-learning", comentou a empresária.

No estande da Jobast Soluções em e-Learning, instalado na área de exposições do congresso, o visitante entra em contato com o expertise da empresa no desenvolvimento de projetos educacionais com plataforma tecnológica.

"Trouxemos para o congresso o nosso conhecimento em projetos que ultrapassam as barreiras físicas e geográficas da região Amazônica. Estamos mostrando para o público do evento de que forma levamos para o interior do Amazonas um ensino de qualidade com a melhor relação custo/benefício", explicou Tula Campos.