Publicidade
Manaus
Manaus

Empresa faz mapeamento do Centro histórico de Manaus para identificar imóveis

Arka Soluçoes Verdes venceu licitação para identificar situação de cerca de 2,5 mil imóveis da área tombada e seu entorno 19/08/2012 às 12:31
Show 1
Os agentes da Arka Soluções empresa estão fazendo o levantamento dos imóveis do Centro
Carolina Silva Manaus (AM)

Por meio do uso de novas tecnologias, a superintendência do  Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Amazonas poderá conhecer a quantidade e a situação dos imóveis situados na área de tombamento e no entorno do Centro histórico de Manaus. A estimativa é que até novembro sejam identificados cerca de 2,5 mil imóveis. O Centro histórico de Manaus foi tombado em janeiro deste ano.

“Com um smartphone, que marca geograficamente o ponto tombado, o agente de campo fotografa o imóvel e preenche as informações necessárias para o cadastro de bens de imóveis. Os aparelhos estão ligados à Internet e a um servidor. Quando é finalizado o levantamento, as informações são enviadas em tempo real para um programa e o imóvel é identificado via satélite”, explicou a arquiteta urbanista Ana do Nascimento Guerreiro, da Arka Soluções Verdes, que venceu a licitação feita ano passado para realizar o inventário dos imóveis.

“Se o levantamento fosse feito de modo manual, demoraria muito mais tempo para concluí-lo”, acrescentou. Para o cadastro de bens de imóveis do Iphan, estão sendo levantadas informações como, por exemplo, a data de construção do imóvel, o uso original e atual, medidas gerais e número de pavimentos existentes.

“Esse cadastro chama-se Sistema Integrado de Controle de Gestão (SICG). Até agora, 695 imóveis já foram identificados”, disse Ana Guerreiro. Segundo ela, o levantamento foi solicitado pelo Iphan para que o órgão possa identificar quais imóveis são históricos ou não. “Se trata de um inventário daquilo que ele está protegendo. Identificamos, por exemplo, imóveis que são estacionamentos e que estão na área de tombamento. Daí existe uma preocupação do proprietário em achar que não pode  modificar. Essas informações vão servir para que o Iphan possa normatizar isso”, destacou.

Consciência

Mas, como arquiteta urbanista responsável pelo trabalho, Ana Guerreiro também alerta os proprietários dos imóveis para que recebam a equipe de agentes que precisam coletar as informações necessárias. “Em muitos imóveis os proprietários se recusam a dar informações porque desconhecem esse trabalho. Esse trabalho não tem vínculo nenhum com cobrança de impostos ou algo do tipo”, esclareceu.

Ajuda

Os agentes da Arka Soluções Verdes trabalham identificados por crachá. Além de  fornecer o nome e endereço de correspondência, o proprietário do imóvel pode ajudar com dados históricos, como fotos e documentos antigos.