Publicidade
Manaus
Economia, Polo Naval, Suframa, Portos, Sindnaval, Suframa, Sebrae, Offshore

Empresa norte-americana pretende construir porto em Manaus

A ideia do grupo norte-americano Ewin é a de bancar a construção e, em troca, receber a concessão para controlar o local por um prazo determinado 18/10/2012 às 15:02
Show 1
Representantes do grupo norte-americano conversam com técnicos da Suframa na Exponaval
acritica.com Manaus

A atração de um big estaleiro, a formação de um hub de reparos e manutenção, e a construção de um porto na área do Polo Naval do Amazonas foram os principais temas das reuniões e visitas realizadas ao longo dessa quarta-feira (17), pela comitiva do Amazonas no 24º Congresso Nacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore (Exponaval/Sobena), no Rio de Janeiro - e que se estende até sexta-feira (19) -, com objetivo de captar  recursos e atrair potenciais investidores.

A agenda incluiu encontros com representantes do Grupo Simões, Elcano, Sindarma, Sinaval, Fat Fish, Estaleiro Mauá, Sei Industrial Parks e do Ewin Group, empresa americana que mostrou interesse em fazer um novo porto em Manaus. 

A comitiva do Amazonas é formada por técnicos da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), do Governo do Amazonas e do Sebrae-AM, além de representantes de sindicatos e estaleiros do Amazonas. O grupo se dividiu para cumprir as atividades programadas.

Na visita à sede da Elcano - empresa de origem espanhola focada no comércio marítimo de longo curso, exercendo atividades de armazenagem, comercialização de mercadorias e administração de embarcações –, os executivos da empresa demonstraram interesse no projeto de hub, um consórcio de estaleiros, para reparos e manutenção no Polo Naval do Amazonas. 

Para os gestores da Elcano, alguns deles com mais de 30 anos de atuação no segmento naval, a atividade de reparo e manutenção de embarcações deveria ser a principal atividade do futuro Polo Naval do Amazonas.

As principais razões apontadas é que não há na América do Sul nenhum estaleiro de reparo e há uma obrigação legal de que um navio precisa passar pela docagem (parada para inspeção e reparo) a cada cinco anos. Para docar a sua frota, a Elcano precisa enviar os navios para Portugal e Espanha.

Porto
Representantes da Ewing Group também visitaram o estande do Amazonas na Exponaval para iniciar conversas sobre a construção de um porto na área do Polo Naval do Estado. A ideia da empresa americana é bancar a construção e, em troca, receber a concessão para controlar o local por um prazo determinado.

Outro grande projeto para o Polo Naval e Náutico do Amazonas é a atração de um big estaleiro de construção. O estaleiro âncora também teria uma função semelhante à loja âncora de um shopping, ajudando a atrair outros investimentos para o local.