Publicidade
Manaus
Cotidiano, Meio Ambiente, Efluentes, Sustentabilidade, Motel Tahiti, PIM, Honda

Empresas investem no tratamento de efluentes, em Manaus

Sustentabilidade não é mais uma exclusividade das grandes indústrias, do Polo Industrial de Manaus  28/07/2012 às 16:42
Show 1
O motel Tahiti, na Ponta Negra, Zona Oeste, investiu em uma ETE há três anos
Carolina Silva Manaus

Em meio a tantas discussões que cercam o tema “desenvolvimento sustentável”, empresas brasileiras estão cada vez mais conscientes sobre a importância de implementar ações de sustentabilidade ambiental. Sendo assim, a preservação dos recursos hídricos tornou-se fundamental. A prática de reutilização de efluentes líquidos e o descarte deles de forma menos prejudicial ao meio ambiente tem otimizado a marca dessas empresas.

Ao apontar empresas que se preocupam com políticas ambientais, as indústrias aparecem no topo da lista. Mas, nos últimos anos, diversos empreendimentos, em Manaus, além das ‘gigantes’ do pólo industrial, também buscam o diferencial, por meio de ações que minimizam a degradação do meio ambiente.

Há aproximadamente três anos, uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) biológicos implantada no Tahiti Motel, localizado no bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, busca reduzir os impactos ambientais, reutilizando a água usada no estabelecimento. A estação foi criada e instalada por um biólogo alemão.

O administrador do motel, Rodrigo Assef, 27, garante que o investimento, além de ser um dos diferenciais do empreendimento, é um meio de descartar resíduos sólidos e líquidos sem causar impacto ao meio ambiente. Além disso, pode contribuir com a redução no consumo de água para atividades como  irrigação da área verde.

“O custo foi alto, mas pensando nos danos, é um investimento que vale a pena”, disse.

A ETE do empreendimento é composta por tanques que armazenam os resíduos sólidos e líquidos. Outros tanques com bactérias e plantas executam o trabalho de tratamento da água suja.

”São bactérias e plantas específicas, que se alimentam da sujeira da água e, por fim, a deixam limpa. Mas pode ser reutilizada para beber. Apenas para irrigação“, explicou Rodrigo.

Ipaam
Até o fechamento desta edição, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) não informou quantas empresas em Manaus possuem ETE. Segundo o órgão, os dados estão ‘migrando’ para  um processo de informatização.

Matéria-prima
Por meio do programa desenvolvido em todas as unidades da Honda no mundo, o Green Factory, a empresa tem implantado políticas de gestão e proteção ambiental, com uso racional dos recursos naturais. A Honda inaugurou, em 2001, uma  ETE dentro do complexo  da empresa, no Pólo Industrial de Manaus (PIM), que permite o reuso da água na irrigação da área verde.

Mais complexa, a ETE possui capacidade para tratar, diariamente, 2,5 milhões de litros de efluentes industriais e biológicos (resíduos domésticos). Depois de submetida a várias etapas de tratamento, esterilização e filtração, parte da água – já tratada – é destinada para irrigação e o restante retorna à natureza. A estação aproveita, ainda, outros materiais, como o lodo - tanto o industrial como o biológico - gerado após o processo de tratamento, em co-processamentos para fabricação de matéria-prima da massa asfáltica.