Publicidade
Manaus
Nome Vanessa

Entrada de nome de senadora do AM como opção de candidatura à Prefeitura de Manaus causa reações no meio político amazonense

A entrada de Vanessa em cena provoca reações na classe política amazonense. Aliados interessados no mesmo apoio dizem que ainda é cedo para se definir nomes 06/02/2012 às 07:59
Show 1
A senadora comunista diz que " não põe, mas também não tira" o nome dela no jogo eleitoral de 2012
Renata Magnenti Manaus

A entrada do nome da senadora Vanessa Grazziontin (PCdoB) no tabuleiro da disputa das Eleições 2012 causou reações de negação e indiferença à candidatura da comunista, entre os demais pré-candidatos à Prefeitura Municipal de Manaus (PMM). Os nomes, que estarão nas urnas, só serão confirmados daqui a quatro meses, no prazo final para as convenções partidárias.

No domingo, A CRÍTICA publicou que a senadora representa uma das chances de consenso entre o PMDB (do senador e ex-governador Eduardo Braga) e o PSD (do governador Omar Aziz) para o pleito deste ano e os bastidores dessa possibilidade de entendimento das siglas que ainda não ajustaram os ponteiros para 2012.

O detalhe é que a “negação” ao nome de Vanessa surge num partido que, nas Eleições 2010, marchou unido com o grupo. Ao ser questionado sobre o nome de Vanessa, o deputado federal Pauderney Avelino (DEM) reafirmou sua pré-candidatura ao mesmo cargo e disse buscar fortalecimento na disputa com o apoio do governador Omar Aziz.

 Pauderney disse que tem conversado com o governador sobre o assunto. A respeito da comunista foi econômico: “Porém, é prematuro definir os personagens antes da convenção”, declarou.

Os adversários de Vanessa que estão do lado de fora dos partidos da base aliada do Governo do Estado, preferem a postura de indiferença à candidatura da senadora à PMM, sem, no entanto, questionar o nome dela. Para o ex-prefeito e pré-candidato Serafim Corrêa (PSB) é proibido falar no “contrário”. Disse apenas que desde setembro de 2011 o partido definiu que sairá sozinho em 2012 e que o vice da chapa será o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB).

O deputado federal Francisco Praciano, que se apresenta como pré-candidato pelo PT, afirma não se preocupar com os adversários, pois o partido tem aprovação quase que unânime no Norte. “Não vejo possibilidade de fazermos alianças e diante da fase positiva do PT é possível vencermos”.

Na avaliação do deputado federal Henrique Oliveira (PR), não basta a senadora do PCdoB querer ser candidata à prefeita, é necessário saber se o partido dela, que só tem dois senadores em Brasília, abrirá mão de seu mandato. O suplente de Vanessa no Senador é Francisco Garcia (PP). “Eu queria o apoio do (senador) Braga ou quem sabe ter o Hissa Abraão como vice”, confessou.

Entretanto, Hissa Abraão (PPS) quer ser candidato a prefeito e vislumbra a possibilidade de aliança com o ex-senador Artur Neto (PSDB). “Se o grupo do Braga se fortalecer, precisaremos de um nome forte e o senador Artur é chave importante na política local e nacional”.

 O ex-senador só retorna a Manaus no final de fevereiro. O deputado estadual Artur Bisneto disse que os tucanos ainda não definiram nomes para 2012.

PSD e PMDB em busca de consenso

 O governador Omar Aziz (PSD) e o senador Eduardo Braga (PMDB) têm dado sinais sobre a indefinição de que nome representará a aliança entre as duas siglas na disputa pela Prefeitura Municipal de Manaus. Os sinais podem ser percebidos em declarações públicas em janeiro e fevereiro deste ano.

Há três semanas, Omar Aziz declarou que, caso Braga seja candidato a prefeito, terá o apoio dele. Mas, se o senador apenas indicar um candidato, o governador afirmou que não se sentirá obrigado a apoiar a escolha do aliado.

 Na última sexta-feira, foi a vez de Braga dar o mesmo sinal ao declarar: “Eu também tenho compromisso com ele (Omar), mas não tenho compromisso com o candidato dele”. Ontem, o senador disse que não pretende ser candidato a prefeito e que esteve com Omar no sábado. Na ocasião, falaram sobre alianças políticas para a campanha deste ano, mas não trataram nomes de candidatos.

Em 2010, o então governador Braga foi o principal cabo eleitoral de Vanessa, sob a anuência de Omar, seu vice-governador.

Na ocasião, a coligação “Avança Amazonas” elegeu Omar (na época do PMN), Braga (PMDB) e Vanessa (PCdoB) para o senado, e os deputados federais: Rebecca Garcia (PP), Átila Lins (PSD), Silas Câmara (PSC), Carlos Souza (PP), Pauderney Avelino (DEM) e Sabino Castelo Branco (PTB). E, no Parlamento Estadual, a maioria dos deputados.