Publicidade
Manaus
Manaus

Escola pública de Manaus é interditada após morte de estudante

Aluna Vanessa de Oliveira morreu com meningite e um outro aluno desmaiou nessa terça-feira (24). Técnicos da Semsa já vacinaram alunos 25/04/2012 às 08:13
Show 1
Daniele Barbosa disse que alunos estão com medo de frequentar a escola
ANA PAULA SENA Manaus

A aluna da Escola Estadual Josué Claudio de Souza, antiga Gilberto Mestrinho (GM), Vanessa de Oliveira, 20 morreu vítima de meningite meningocócica na última segunda-feira. Na tarde dessa terça (24), outro aluno passou mal e desmaiou durante a aula e foi levado às pressas para o hospital, causando grande tumulto entre os alunos. Em função disso, a escola será fechada por um dia, para evitar possíveis novas contaminações.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) enviará uma equipe à escola nesta quarta (25) para realizar uma limpeza. De acordo  com a assessoria, as aulas voltarão ao normal na quinta (26).

A estudante Daniela Barroso, 18, afirmou que todos estão com medo de ir a escola e serem contaminados. “Principalmente depois de ontem, que outro aluno desmaiou, estamos apavorados”, disse.

De acordo com a conselheira de saúde do bairro, Vicência Dias, o ideal era que a escola tivesse sido fechada desde segunda-feira. “Aqui há muito lixo , tanto dentro como na frente da escola, é um descaso total. Além de a escola ser toda fechada e não ter circulação de ar, os alunos estão em risco sim”, afirmou.

Segundo informações de amigos de Vanessa, ela teria se sentido mal dentro da sala de aula e foi liberada mais cedo. “Só soubemos que ela tinha piorado essa semana, estamos todos em choque”, revelou uma amiga que pediu para não ser identificada.

De acordo com a pedagoga da escola, que não quis ter o nome revelado, Vanessa  relatou dores de cabeça e febre e foi liberada para ir mais cedo para casa.

“Ela queria um remédio, mas aqui na escola não temos autorização para dar e por isso liguei para os pais da aluna e eles liberaram a saída dela mais cedo. Soubemos um dia depois que ela tinha piorado e que estava internada no Hospital Tropical”, afirmou.

Sobre o fechamento da escola a pedagoga afirmou que é o melhor a se fazer, para evitar o clima de preocupação dos alunos e professores.

“Além da saúde que deve estar em primeiro lugar sempre”, disse. Uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde também vacinou, ontem, os estudantes que frequentavam a mesma sala de aula da Vanessa para evitar o contagio.  

Uma das preocupações de quem tem filho estudando na escola, localizada no bairro Coroado, é a grande quantidade de lixo acumulado no entorno dela.

“A direção não toma providências. Isso com certeza atrai doenças para os estudantes, além da água parada que fica no pátio da escola, principalmente quando chove e ninguém faz nada”, disse uma mãe de aluno que não quis se edentificar.