Publicidade
Manaus
BALEADA

Esposa de advogado morto a tiros no Porão corre risco de ter a perna amputada

Fabíola Oliveira, de 31 anos, também foi baleada pelo delegado Gustavo Sotero na casa de show. Ela passou por cirurgia e deve ficar internada por 15 dias 03/12/2017 às 14:32 - Atualizado em 03/12/2017 às 18:54
Show 1300135
Foto: Arquivo/AC
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Fabiola Rodrigues Pinto de Oliveira, 31, esposa do advogado Wilson Justo Filho – morto a tiros durante uma briga de bar na casa de show Porão do Alemão, em Manaus, corre o risco de ter a perna amputada. Ela também foi baleada, na perna, pelos tiros disparados pelo delegado Gustavo Sotero na madrugada do sábado, 25 de novembro.

Fabíola passou por cirurgia neste sábado (2) para tentar conter uma infecção na perna e deve ficar internada por 15 dias. Segundo a advogada da família, Catharina Estrella, Fabíola está internada no Hospital Santa Júlia, localizado no Centro de Manaus. Conforme informações repassadas pelos médicos, ela conta que a cirurgia realizada por volta das 17h foi para conter uma infecção de alto grau devido à perda do tecido muscular da perna esquerda.

“Os médicos falaram que ela deve ficar de 10 a 15 dias internada. Eles passaram uma medicação de UTI, que é bastante pesada. Ela não pode ter muito contato com as pessoas, somente com um acompanhante para dar assistência. A visitação não vai ser permitida nesse primeiro momento”, disse a advogada.

Ainda segundo a advogada, Fabíola está consciente e internada num quarto do hospital. Ela conta que apesar da cirurgia, o risco de amputação do membro não foi totalmente descartado pelos médicos. “Existe o risco da infecção não cessar. A amputação é um risco, mas por enquanto, é um risco remoto. Então para essa primeira cirurgia dela, eles descartaram, mas é preciso aguardar esses primeiros dias para saber qual será a reação dela”, disse Estrella.

Advogado assassinado

O advogado Wilson Justo Filho foi assassinado na madrugada do sábado 25 de novembro após ser alvejado com quatro tiros disparados pelo delegado Gustavo Sotero durante uma briga no Porão do Alemão, Zona Oeste de Manaus. Outras três pessoas ficaram feridas, incluindo a esposa do advogado, Fabíola Oliveira. O delegado Gustavo Sotero foi preso em flagrante e recebeu prisão preventiva.