Publicidade
Manaus
Manaus

Estudante morre vítima de latrocínio na Zona Sul de Manaus

A vítima ainda foi socorrida por testemunhas e levada ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, no Adrianópolis, Zona Centro-Sul, mas não resistiu aos ferimentos 27/01/2012 às 18:18
Show 1
Familiares e amigos no velório de Cristian da Silva Lopes, 21, vítima de latrocínio na Zona Sul de Manaus
Thiago Monteiro Manaus

O estudante Cristian da Silva Lopes, 21, foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) com dois tiros, sendo um no pescoço e outro na virilha, por volta de 21h de quinta-feira (26), na rua Araújo Filho, com rua Clarindo de Queiroz, no São Francisco, Zona Sul, após entregar para os assaltantes um celular que valia menos de R$ 50.

A vítima ainda foi socorrida por testemunhas e levada ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, no Adrianópolis, Zona Centro-Sul, mas não resistiu aos ferimentos.

Conforme o relato de familiares, o estudante estava numa festa de aniversário, quando recebeu uma ligação e ficou conversando pelo celular sentado num muro em via pública.

“Dois homens numa motocicleta chegaram próximo dele e anunciaram o assalto. Ele entregou o celular, só que o aparelho caiu no chão. Neste primeiro momento o bandido que estava armado deu um tiro na perna dele e como ele tropeçou em cima dois bandidos esses caras deram um tiro no pescoço dele. Isso foi uma tragédia e nos pegou de surpresa”, disse o primo do estudante Francinei Ferreira, 34.

Testemunhas disseram que viram no momento que os assassinos chegaram na rua, desceram de uma motocicleta de características não identificadas e fizeram os disparos. “Vi tudo aqui da janela de casa. Até agora todo mundo está abalado com essa tragédia e com medo porque estão acontecendo muitos assaltos aqui no bairro. Ele era uma menino muito bom e não fazia mal para ninguém aqui da área”, disse uma amiga, que preferiu não se identificar.

Preliminarmente o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), localizado no Tancredo Neves, Zona Leste. Se o crime for configurado o latrocínio será repassado para a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), no Alvorada, Zona Centro-Oeste.

Cristian era apaixonado pela língua e cultura japonesa. O jovem costumava se reunir com amigos para fazer cosplays pela cidade, e dava vida a personagens de games e desenhos animados do japão (mangás). No cosplay as roupas devem ser incorporadas e idênticas nos mínimos detalhes, assim toda a postura e interpretação são feitas pela ser humano.

Segundo parentes, na manhã desta quinta (26) a vítima iria começar seu primeiro emprego no Distrito Industrial, Zona Sul. O velório do estudante aconteceu no Centro Assistencial Salomão Abtibol, no São Francisco, Zona Sul, e durante a tarde o jovem foi enterrado no cemitério Parque Tarumã, Zona Oeste.

Os pais da vítima estavam muito abalados e preferiram não falar sobre o latrocínio. Amigos da vítima passaram o dia prestando homenagens a vítima nas redes sociais (Facebook e twitter) e também durante o velório do estudante.

Desabafo
“Tudo por culpa de um celular que valia menos de R$ 50. Nós precisamos de um polícia mais ativa aqui no bairro, pois no ano passado um outro amigo nosso morreu nas mesmas circustâncias”, disse Francinei Ferreira, 34, primo da vítima.

Publicidade
Publicidade