Publicidade
Manaus
Manaus

Estudantes reivindicam descontos em faculdade

Alunos ficaram sem o desconto dado pelo programa Bolsa Universidade, da Prefeitura de Manaus. Esbam informa que benefício virá no segundo semestre 05/03/2012 às 20:58
Show 1
Matriculados no curso de Medicina Veterinária da Esbam, contemplados com o Bolsa Universidade, terão que esperar formar turma
Ana Célia Ossame Manaus,

Cerca de 34 alunos do primeiro período do curso de Medicina Veterinária matriculados no primeiro período da Escola Superior Batista do Amazonas (Esbam) contemplados na segunda listagem do programa Bolsa Universidade, da Prefeitura de Manaus, estão sendo impedidos de ter o desconto de 50% no valor da mensalidade fixado no valor de R$ 845, 43 porque já estão cursando a faculdade. O problema, segundo afirmam, é que todos fizeram esforços para se matricular por terem recebido a informação de que só assim poderiam ser contemplados no programa.

Com essa informação, procuraram o Bolsa Universidade, onde receberam a proposta de troca de curso, de faculdade ou trancar o período e voltar a concorrer à bolsa no próximo, opções que desagrada a todos. “Já estamos estudando e queremos continuar. Nós queremos saber quem está falando a verdade”, disse a aluna Mariza Moreira Rodrigues, 30. Ela e mais Pedro Felipe Ribeiro da Silva, 18, Rosinaldo Ramos da Silva, 41, Maria Esther Lifsithc, 18, Saulo Vinicius Soares Lima, 18 e Jodevaldo Rodrigues Teixeira, 30, estão entre os vivenciam essa questão.

Vagas limitadas

A secretária acadêmica da Esbam, Silmara Guadalupe, informou que o número de alunos beneficiados pelo Bolsa Universidade nos cursos de Administração, Direito e Medicina Veterinária foi maior do que o número de vagas oferecidas, nos respectivos cursos, pela faculdade, que é limitado pelo Ministério da Educação (MEC). Ela informou ainda que a Esbam estará acolhendo esses universitários no segundo semestre com todos os benefícios concedidos pelo programa.

A gerente do Departamento de Ação Social e Educacional do Bolsa Família, Jeanele Pereira, disse que o órgão está acompanhando o caso dos 34 alunos e reforçou a tese da Esbam não ter número de alunos para formar uma turma. Eles, no entanto, não perderão o benefício, porque casos como esses estão previstos no edital do programa. Os que quiserem, podem procurar outra faculdade, trocar de curso ou esperar o próximo semestre, pedindo a suspensão temporária do benefício, reforçou. A gerente negou haver orientação para o candidato se matricular, mas sim fazer o vestibular da Instituição de Ensino Superior (IES) e, se aprovado, buscar o programa.