Publicidade
Manaus
Manaus

Estudo aponta 88,2% das vítimas de exploração sexual infantil em Manaus são do sexo feminino

A pesquisa mostra que a maioria das vítimas de violência sexual infantil é de meninas e que mais da metade foi abusada em casa 25/05/2012 às 07:00
Show 1
A maioria das vítimas de violência sexual infantil, em Manaus, tem entre 10 e 13 anos de idade. Segundo a pesquisa, 95% dos abusadores são do sexo masculino
Florêncio Mesquita Manaus

A maioria das vítimas de violência sexual infantil, em Manaus, é do sexo feminino e mora nas Zonas Norte e Leste da cidade. A constatação é da tese de doutorado do pesquisador da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Joaquim Hudson Ribeiro, que analisou 4.612 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes na capital, entre os anos de 2006 a 2010.

A pesquisa revela que 88,2% das vítimas de exploração sexual infantil na cidade são do sexo feminino, enquanto apenas 9,8% são do sexo masculino. A maioria das vítimas tem entre 10 e 13 anos de idade. Segundo o estudo, mais de 55,8% dos abusos ocorreram dentro de casa.

Os registros de violência sexual contra crianças e adolescentes foram coletados na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Savvis) e no Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas). 

Segundo o professor Joaquim Hudson, as ocorrências de violência contra meninos são menos comuns porque, muitas vezes, os próprios pais não as registram por medo ou constrangimento. “Por se tratar de um menino, os pais enfrentam um tabu muito grande e preferem omitir o crime. Já quando os abusos são contra meninas, os pais denunciam mais”, disse.

Perfil
A pesquisa traça o perfil do abusador e revela que o percentual de pais, padrastos ou namorados da mãe da criança ou do adolescente identificados como autores dos abusos chega a 46,9%.

Outro dado alarmante aponta que 16,9% dos abusadores estavam sob efeito de drogas no ato do crime. Ainda de acordo com o estudo, 95% dos abusadores são do sexo masculino, sendo que 91,9% deles são pessoas conhecidas das vítimas e dos familiares.

Apesar da maioria dos abusos ocorrerem contra crianças e adolescentes de 10 a 13 anos, a cada ano tem crescido o número de vítimas com menos de cinco anos de idade. Os registros do Savvis, por exemplo, revelam que 18,3% são de crianças nessa faixa etária.

Outra constatação preocupante é a prática de abusos contra crianças com menos de um ano de idade. Os números da Depca mostram que, entre as vítimas de abuso sexual em Manaus, entre 2006 e 2010, 1,3% eram crianças com menos de um ano de idade.

Já os dados do Savvis, apontam que 1,9% dos abusos foram praticados contra crianças na mesma faixa-etária e período.

Para Hudson, o Amazonas é considerado uma região endêmica nesse tipo de crime. Em seu estudo, ele alerta que Manaus ocupa a 6ª colocação no ranking nacional entre os municípios campeões em abuso sexual contra crianças e adolescente, considerando a proporção para cada 100 mil habitantes. O Amazonas também ocupa a mesma colocação na comparação entre os 26 Estados da Federação.

Capital tem 19 pontos de exploração

Ao todo, 19 pontos de exploração sexual em Manaus foram identificados pelo estudo, antes chamados de pontos de prostituição infantil. “O termo correto é exploração sexual infantil. Criança não se prostitui, é explorada”, explicou Joaquim Hudson Ribeiro.

Entre os locais, apontados na pesquisa estão o Passeio do Amarelinho, no bairro Educandos, Zona Sul, parte do bairro Mauazinho, na Zona Leste - que registra casos principalmente por conta da proximidade com o Porto da Ceasa - além de balneários no Puraquequara e no lago do Aleixo, na Zona Leste. A avenida Grande Circular, o passeio do bairro da Glória e as imediações das feiras da Panair e do Produtor também aparecem nos mapas.

O trecho entre o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e as ruas de acesso ao conjunto Morado do Sol, no Aleixo, figura como outro local de exploração sexual infantil, com a presença de adolescentes do sexo masculino. Mas nenhum ponto da cidade concentra adolescentes sendo explorados sexualmente quanto o entorno do Fórum Henoch Reis. “O lugar que deveria fazer valer os direitos e deveres, bem como, as leis, fecha os olhos para isso.”

Tráfico
As rotas de exploração sexual de crianças e adolescentes vítimas do tráfico internacional de pessoas também são apontadas pelo estudo do pesquisador Joaquim Hudson Ribeiro,  por meio de mapas. As vítimas são aliciadas em Manaus e levadas para países como a Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana Francesa, Espanha, Holanda, Alemanha e Suíça.

Vulnerabilidade
No Amazonas, foram identificados diversos pontos de vulnerabilidade a exploração sexual infantil. Entre os municípios com mais casos de abusos contra crianças e adolescentes aparecem Manaus, Parintins, Presidente Figueiredo, Barcelos, Manacapuru, Itacoatiara, Maués, São Gabriel da Cachoeira, Autazes, Tabatinga, Iranduba, Coari e Tefé.

Números
2006 - Neste ano, foram registrados, 460 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes, em Manaus.

2007 - No ano seguinte, o número de ocorrências  registradas saltou para 472, um aumento de, aproximadamente, 3,6%.

2008 - Já ao longo do ano de 2008, a polícia e os órgãos assistenciais identificaram um novo aumento nos casos, que somaram 522 registros.

2009 - O número de vítimas de abusos continuou em ascensão, totalizando 525 casos no ano.

2010 - Seguindo a tendência de aumento de registros, neste ano o número de casos atingiu a marca de 659 abusos.