Publicidade
Manaus
Manaus

Ex-diretor da Escola Superior de Ciências da Saúde será o novo reitor da UEA

À frente da UEA desde 2010, José Aldemir oficializou sua demissão nesta quinta-feira, entregando a carta com pedido de exoneração ao governador Omar Aziz 21/03/2013 às 20:32
Show 1
Cleinaldo Costa é o novo reitor da UEA
Ana Carolina Barbosa Manaus

O ex-diretor da Escola Superior de Ciências da Saúde, Cleinaldo de Almeida Costa, assumirá o cargo de reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), após o pedido de exoneração, oficializado nesta quinta-feira (21/03), pelo professor e doutor em geografia urbana, José Aldemir de Oliveira, que esteva à frente da instituição desde julho de 2010. A informação foi confirmada pela Agência de Comunicação do Governo (Agecom). A nomeação do novo reitor deve ser publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de amanhã (22/03)

Aldemir disse, em entrevista ao acritica.com, que nos últimos 32 meses, a instituição registrou avanços significativos, como o aumento no quadro de professores concursados e a criação de novos cursos. Para ele, o maior desafio a ser enfrentado pelo próximo a ocupar o cargo será a implantação de dez novos núcleos da instituição no interior e a conclusão da Cidade Universitária, em Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus (RMM).

Aldemir entregou a carta pessoalmente, datada de 18 de março, ao governador Omar Aziz (PSD), alegando problemas de saúde. Sua saída vinha sendo cogitada desde o final de 2012. O professor assumiu a função na gestão de Eduardo Braga, pouco depois de a professora Marilene Corrêa deixar o cargo para candidatar-se ao Senado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), legenda a qual ele também já foi membro, mas se desfiliou em 2012.

Professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e pesquisador do CNPq, antes de se tornar reitor, ele presidiu a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam). Ainda não se sabe quem irá substituí-lo na função.  Já o novo reitor, por sua vez, se reservou ao direito de comentar sobre o plano de gestão para a universidade apenas nesta sexta e disse que espera “cumprir a vontade de Deus e estar à altura dos desafios e acontecimentos” da instituição.

Avanços

Ao acritica.com, Aldemir destacou como um dos principais ganhos no período em que dirigiu a UEA a criação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos professores e a realização de concurso público, que mudou a realidade da instituição. “Quando entrei, o quadro era o seguinte: 30% de professores concursados e 70% de temporários. Hoje, temos 75% dos professores concursados e 25% temporários”, afirmou.

Outro problema superado, de acordo com ele, foi o orçamentário. Aldemir afirma que sai da universidade com o “orçamento saneado” e todos os contratos em andamento, licitados. “Todos os fornecedores, até fevereiro, estão pagos”.

Sobre a reestruturação do Conselho Universitário, ele afirmou que quando chegou à universidade, “o conselho não tinha representatividade dos professores e, hoje, o deixamos organizado. Também criamos várias Câmaras, como a de Ensino e Graduação, de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão”, lembrou.

No quesito relações de trabalho, o professor destaca a importância da normatização do processo entre professores e alunos e ressalta a implantação de programas assistenciais, como o Bolsa Moradia para alunos que precisam se hospedar durante o curso e o Bolsa Trabalho – em que alunos que têm carência social, têm direito a um auxílio financeiro e, em contrapartida, prestam serviço à universidade fora do horário de aula.

“Também criamos o Bolsa extensão que, assim como há a de Iniciação Cientifica, que já existia antes de assumirmos, auxilia para que o aluno participe de atividades de extensão. É um serviço que a universidade presta à sociedade”.

Na área de saúde, ele ressalta a normatização do Estágio Rural, que tem a duração de 60 dias, nos quais os universitários praticam no interior do Estado. Além disso, afirma que deixa concluído o projeto do Núcleo de Atendimento Odontológico à Pessoa com Deficiência.

“Meu maior desafio como reitor foi a organização da instituição. Você organizar todos os processos da instituição, que é uma atividade que não aparece tanto para sociedade, é o maior desafio, além das relações de trabalho. Hoje, a UEA tem um orçamento com possibilidade de planejar, e um quadro de servidores e professores estabilizado”.

Interior

Além da criação do Restaurante Universitário (RU) na capital, o professor diz que Parintins teve o mesmo projeto implantado. Outra melhoria primordial ao funcionamento dos quatro centros localizados no interior do Amazonas – Parintins, Tefé, Itacoatiara e Tabatinga – foi a compra de geradores de alta potência para superar as interrupções de energia, além de carros utilitários.

“Investimos maciçamente na troca de todo o parque tecnológico da universidade, substituindo todos os computadores. No caso do interior, o maior desafio, sem dúvida, foi melhorar os salários dos professores que, hoje, além de um bom salário, ganham o Auxílio Localidade. O valor varia de acordo com o município”, explica.

Para o próximo gestor, ele deixa a missão de implantar os dez novos núcleos no interior e a ampliação da unidade da UEA em Tefé. Os projetos também estão prontos, de acordo com ele. Neste último caso, os recursos estão alocados e a licitação deve ocorrer em 60 dias, adiantou o professor.

No caso da Cidade Universitária, que transferirá parte da demanda da UEA para Iranduba, ele comentou que caberá ao novo reitor a conclusão da implantação, além da consolidação das normas já estabelecidas. “Também é importante avançar na qualificação de professores e na criação de novos cursos de pós-graduação”, alertou.

Novos cursos

Durante a gestão de José Aldemir, novos cursos foram implantados na universidade. Este ano, por exemplo, foi criado o curso de tecnólogo em audiovisual e, nos anos anteriores, foram implantados os cursos de Enfermagem em Parintins, de Engenharia Naval em Manaus e de Agrimensura em três cidades: Manaus, Humaitá e Itacoatiara.

Aldemir deixa a UEA com 25 mil alunos, 1100 professores e 700 servidores e diz que, agora, se dedicará à carreira de pesquisador e professor na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). “A UEA tem que estar sempre a serviço da sociedade. Ela é, principalmente, da sociedade amazonense, que paga os tributos para manter essa instituição.Tenho muito orgulho do que eu fiz aqui. A vida é um eterno chegar e um eterno sair. Cheguei uma hora e vou sair sem mágoa, sem rancor, e com a certeza de que fiz o melhor que eu podia fazer”, concluiu.

Nota oficial

Às 20h desta quinta-feira, o governador Omar Aziz informou, por meio de nota, que nomeou Cleinaldo de Almeida Costa, para assumir a Reitoria. Cleinaldo é doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e mestre em Cirurgia Vascular pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM). Na Escola Superior de Ciências da Saúde da UEA ele ministrava as disciplinas Clinica Cirúrgica II Cirurgia Vascular, Cirurgia de Emergência e Trauma e Telemedicina e Telessaúde da UEA. Também lecionou a disciplina Clínica Cirúrgica II - área de Cirurgia Vascular na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O novo reitor é  titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e Membro da SBAIT e da Sociedade Panamericana de Trauma.