Publicidade
Manaus
PROCURADO

Ex-modelo é procurado pela polícia como envolvido em latrocínio em Manaus

Antônio Marcos é um dos três homens que planejaram furto para bancar uma ida à festa de rave na capital. Os outros dois já foram presos 22/11/2017 às 14:43 - Atualizado em 22/11/2017 às 15:33
Show modelo foragido
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Dani Brito Manaus (AM)

O ex-modelo Antônio Marcos Moura Lisboa está sendo procurado pela Polícia Civil do Amazonas como sendo o terceiro envolvido no latrocínio de Vinicius Garcia de Siqueira, de 39 anos, morto enforcado no dia 1º de novembro deste ano durante um roubo dentro da quitinete onde morava, no conjunto Hileia, no bairro Redenção, Zona Centro-Oeste da capital. Os outros dois envolvidos no crime já foram presos.

Segundo a Polícia Civil, Antônio Marcos é um dos três homens que planejaram o roubo à casa da vítima para bancar uma ida à festa de rave na capital. Os outros dois presos são o ambulante João Victor Andrade Ferreira da Silva, 19, o “Banana”, e o garçom Júlio César Ferreira e Silva, 22, apresentados na manhã de hoje na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).


João Victor e Júlio César (Foto: Jander Robson)

“Um dia antes (do crime) o Marcos me ligou e disse ‘tu ainda tem aquela situação (sonífero), o negócio?’. Eu falei ‘eu tenho’. ‘Quando tu vier, tu traz’. E realmente eu levei. Foi quando ele (Antônio Marcos) falou ‘é assim, assim e assim. Eu não tenho dinheiro e quero roubar, quero fazer isso’”, explicou João Victor, durante a coletiva de imprensa na sede da DEHS.

Conforme o delegado Juan Valério, que comandou as investigações na DEHS, o crime foi premeditado pelos três rapazes, que já conheciam a vítima. “Eles já conheciam a vítima há mais de cinco meses e sempre iam na casa dele beber, usar drogas e jogar vídeo game. Dois dias antes do crime eles planejaram o furto e levaram, no dia, um remédio para colocar na bebida do rapaz para que ele desmaiasse”, explicou o delegado da DEHS. Entretanto, no momento em que a vítima apagou e eles começaram a revirar a casa, Vinicius Garcia acordou e, a partir daí começou a ser enforcado até a morte. 


Bilhete usado para despistar a polícia (Foto: Divulgação)

O ex-modelo Antônio Marcos foi, inclusive, apontado como o executor da vítima. “Mas não fui eu que matei. Quem matou foi o Marcos. Ele falou que se fosse pra se f*der, ia se f*der todo mundo. Então ele mandou a gente carregar a bolsa (objetos roubados)”, declarou João Victor. “Eu queria só que o Marcos se entregasse porque ele sim realmente matou. E não, não fomos para a rave”.

Antônio Marcos foi acusado, ainda, de ir até o local do crime colocar ao lado do corpo um bilhete com a frase “estuprador é sal”, com intenção, segundo a polícia, de despistar e atrapalhar as investigações. “No dia seguinte ao crime Marcos retornou ao local, despiu a vítima e colocou este bilhete. No entanto, nas investigações colhemos relatos e imagens que apontaram o trio como autor do crime”, destacou o delegado Juan Valério, ressaltando que a vítima nunca tinha sido envolvida em crimes, principalmente de estupro.