Publicidade
Manaus
Manaus

Falta de informações causa fila na Secretaria de assistência social e direitos humanos em Manaus

Secretária Monica Mendes diz que as pessoas têm até o final do ano para fazer o recadastramento 28/06/2012 às 07:12
Show 1
Beneficiários do Bolsa Família não precisam chegar de madrugada nem esperar nas longas filas que se formam todo dia
Milton de oliveira Manaus

Beneficiários que precisam fazer o recadastramento do Programa Bolsa Família, este mês, na Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Zona Centro Sul, reclamaram nesta quarta-feira (27) que têm de dormir no local para fazer a atualização dos dados. O número de pessoas por dia no local é de aproximadamente de 700 e mães temem perder o benefício.

A dona de casa Maria de Lourdes Cavalcante, 49, chegou ao local na noite de terça-feira e foi atendida no início da manhã desta quarta (27). “Eu cheguei era por volta de 22h e já havia muita gente na fila”, contou. Ela disse também, que passou a noite sentada, dentro do pátio da secretaria porque temia assaltos e que há muitas mães que têm problemas cardíacos, diabetes e não têm com quem deixar os filhos.

A Semasdh informou que os beneficiários do programa podem realizar o cadastramento até o final do ano. “Não há necessidade de dormir na fila. Já falamos com os guardas para orientar as pessoas. Temos 81 funcionários atendendo”, afirmou a secretária da pasta Mônica Mendes, acrescentando que se o sistema informátizado “sai do ar” o recadastramento é interrompido e que muitas pessoas deixam para a última hora.

O recadastramento é uma condição estabelecida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o beneficiário tem de apresentar o acompanhamento de saúde, educacional e social da criança. “Não é preciso também, que mães venham com bebês, pensando na prioridade. Ao chegar aqui, vai haver outras pessoas com bebês e idosos. Todos vão ter prioridade”, concluiu.

Os beneficiários podem fazer também, as atualizações nos centros de referências de assistencia social (Cras) e em dois ônibus itinerantes, que vão estar hoje, no bairro Cidade de Deus, Zona Leste, e, amanhã, no bairro da Glória, Zona Oeste.

Mais da metade dos beneficiários registrada
Segundo a página web do MDS, até o dia 15 de junho, 52%   das 10,6 milhões de famílias que têm acompanhamento de saúde tiveram os dados registrados no sistema do Ministério da Saúde. No setor de  educação, são 17,8 milhões de alunos que precisam ser acompanhados pelas prefeituras dos municípios, sendo que 60% já tiveram as informações cadastradas no aplicativo do Ministério da Educação disponibilizado na Internet.