Publicidade
Manaus
Polícia, Tráfico de Drogas, Polícia Civil, ameaças

Família de delegada se muda de bairro, na Zona Centro-Sul de Manaus, para não ser morta

Delegada Lia Gazineu e o marido foram obrigados a sair do bairro em que moravam, devido ameças de morte feitas por traficantes que atuam na área 28/04/2012 às 10:41
Show 1
Depoimento de Lia à polícia revelou que traficantes teriam tramado o assassinato dela com o marido
Joana Queiroz Manaus

A delegada de Polícia Civil Lia Gazineu Carneiro e o marido Euler Carneiro foram obrigados a mudar de endereço por conta das ameaças de morte que vinham recebendo de uma quadrilha de narcotraficantes denominada “Irmãos Metralhas”.

O grupo domina o tráfico de drogas na comunidade Mundo Novo, na Zona Centro-Sul de Manaus, nas proximidades da casa onde o casal morava.

Além deles, outro morador do local, o comerciante João Barros, 64, também teve que ir morar em outro bairro, segundo ele, para continuar vivo.

A delegada e o marido registraram Boletim de Ocorrência (BO) na Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), das ameaças que vêm sofrendo. Eles foram ouvidos em termo de declaração pelo delegado da DRCO, Samir Freire.

A delegada era a titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) e, a partir de agora, assumiu a Especializada em Crime ao Consumidor (DECC). Em depoimento, o casal disse que mora no local há algum tempo e que traficantes dominam o tráfico.

Os mesmos teriam ficado incomodados com a presença da delegada na área.

O casal teve conhecimento de que, no último dia 25 de março, por volta das 22h, o grupo reuniu-se em frente à casa da mãe de um suspeito identificado apenas como “Jefinho”, onde falaram sobre um plano para matar o casal.

A informação é que os “Irmãos Metralhas” contrataram dois pistoleiros do Pará para fazer o “serviço” (assassinato do casal), que os matadores iam receber adiantado 50% do valor contratado e, quando concluíssem o serviço, receberiam o restante.

Eles já teriam providenciado um carro modelo Astra, de cor vermelha, e armas que seriam utilizados pelos pistoleiros para cometer o crime.

Carneiro declarou que os pistoleiros são os mesmos que o bando contratou para executar o juiz titular da 3ª Vara do Júri Popular, Mauro Antony, que decretou a prisão preventiva da família do traficante José Roberto Fernandes, o “Zé Roberto da Compensa”, que cumpre pena no Pará.

Ousados
Moradores do Mundo Novo dizem que os “Irmãos Metralhas” comercializam droga livremente sem serem incomodados pela polícia. Quem ousa denunciá-los acaba morto, assim como quem deixa de pagar dívida de droga ou tenta invadir o território deles.