Publicidade
Manaus
Manaus

Família e amigos de Rodrigo Elias farão manifestação pedindo paz no trânsito e justiça, no dia 20

Motociclista foi morto após uma discussão no trânsito: Brayen Santana manobrou o veículo para cima de Rodrigo, que caiu, foi atropelado por outro carro e morreu no local na quarta (13); após se apresentar delegacia, Brayen foi solto 15/01/2016 às 17:42
Show 1
Rodrigo Elias era biólogo e deixou uma filha que completou um ano no dia de seu enterro.
Luana Carvalho Manaus (AM)

Amigos e familiares de Rodrigo Elias Costa, 30, morto na última quarta-feira (13) após uma briga de trânsito, farão uma manifestação pacífica na próxima quarta-feira (20) no mesmo local do acidente, na avenida Maneca Marques, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul. Eles pedirão paz no trânsito e Justiça. 

O encontro está marcado para às 17h e segundo os organizadores, a intenção é evocar uma mensagem de paz chamar atenção do país inteiro para o caso. “Assim, queremos evitar que mais pessoas sintam a dor que todos estão sentindo e que outros assassinos como Bryen não saiam impunes de seus crimes”, escreveram os amigos, no evento criado no Facebook. 

O ponto de encontro será no Posto ATEM, na Avenida Maneca Marques. De lá, parentes e amigos seguirão para a missa de sétimo dia, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, ainda no Parque 10, Zona Centro-Sul. 

Motorista fugiu sem prestar socorro 

Segundo testemunhas, em certo trecho da rotatória do Mindu, no Parque Dez, Rodrigo Elias, também conhecido como ‘Panda', e Brayen Santana Siqueira, 22,  que conduzia um Fiat Siena, de placas JXK-4201, tiveram uma discussão.

Metros depois, ainda segundo as testemunhas, os dois envolvidos continuaram a briga, quando o condutor do Siena manobrou o carro para cima da motociclista, fazendo Rodrigo cair na pista e ser atropelado por outro veículo, um Fiat Uno de cor azul claro e de placas JWF-5209. Rodrigo não resistiu à colisão e morreu no local.

Na mesma tarde, após divulgação da placa do veículo, Bryen prestou depoimento e foi liberado para responder ao crime de trânsito em liberdade, mesmo indiciado por homicídio doloso.  

De acordo com o delegado Rafael Costa e Silva, titular do 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o condutor se apresentou acompanhado de um advogado e, durante seu depoimento, afirmou que houve uma discussão no trânsito com Rodrigo, mas que ao persegui-lo não teve a intenção de matá-lo. No entanto, testemunhas afirmaram que, após o incidente, ele fugiu sem prestar socorro.

Rodrigo Elias era biólogo e deixou uma filha que completou um ano no dia de seu enterro.  

*Colaborou Marcela Moraes