Publicidade
Manaus
Manaus

Família é feita refém durante fuga de assaltantes em Manaus

A família de seis pessoas, incluindo duas crianças (uma de 7 e outra de 3 meses), ficou duas horas sob a mira de Alessandro Ramos da Silva 05/05/2012 às 17:39
Show 1
Polícia Militar e Samu, estiveram na casa onde as seis pessoas da mesma família foram feitas reféns durante duas horas na madrugada deste sábado (5)
PAULO ANDRÉ NUNES e JOELMA MUNIZ Manaus

Uma família foi mantida refém na madrugada deste sábado (5), após ser rendida dentro de sua residência por Alessandro Ramos da Silva (25). Os seis integrantes da família entre ele duas crianças (uma de 7 e outra 3 meses), ficaram cerca de duas horas sob a mira do seqüestrador.

A residência localizada à rua Fortaleza, nº 569, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus, foi invadida por Alessandro por volta das 23h e 30 minutos, depois de roubarem um telefone celular da universitária Thays Adrianne Nogueira (19), em uma parada de ônibus da rua Professor Armound, no bairro da Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus.

Thays Nogueira, contou à reportagem do Jornal A Crítica, que depois de ter seu celular roubado pela dupla, pegou um táxi, que acompanhou a trajetória dos bandidos.

O taxista conseguiu com a ajuda de outros colegas interceptar a dupla, que acuada disparou dois tiros contra os taxistas. Os dois correram, mas, o menor foi pego, e Alessandro continuou a onda de crimes com o sequestro da família.

Acionada a Polícia Militar foi para o local sob o comando da Tenente Selma, que junto com o Coronel Haroldo negociaram a libertação dos reféns.

“Ele (Alessandro) ficou acuado dentro da casa. Chegou a fazer algumas exigências, mas decidiu se entregar. Felizmente não houve vítimas, nem pessoas feridas neste sequestro-relâmpago”, informou a oficial da Polícia Militar.

A residência invadida pertence ao aposentado Félix Luís de Paula, 55, que também foi feito refém. O universitário Thiago Teixeira de Paula, 27, filho do proprietário, e pai das duas crianças, foi um dos primeiros a ser libertados da casa por Alessandro Ramos da Silva. “Ele falou que, como eu tenho tatuagens, era ‘brother’ (irmão, em inglês), e que me libertaria primeiro”, disse o estudante. No entanto, os momentos de tensão dentro da casa, sob a mira do revólver do acusado, ainda aterrorizavam o universitário.

“É um momento muito difícil porque ele poderia ter atirado em qualquer um de nós a qualquer hora. Em alguns momentos ele disse que, se a polícia tentasse algo, não hesitaria em disparar a arma”, declarou um dos reféns.


Os dois acusados foram conduzidos ao 3º Distrito Integrado de  Polícia (DIP), em Petrópolis, Zona Sul.

Alessandro Ramos é foragido do regime semi-aberto, onde cumpre pena por roubo (artigo nº 157 do Código Penal Brasileiro (CPB). E o crime que cometeu foi configurado como sequestro-relâmpago, segundo informações da Tentente Selma, responsável pela operação.

A rendição ocorreu por volta das 1h30 de sábado após tentativas de negociação lideradas pelo major PM Darcelo Gomes, da 16ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Os acusados foram conduzidos ao 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em Petrópolis, Zona Sul.

Veja galeria de imagens.