Publicidade
Manaus
MOBILIZAÇÃO

Familiares e amigos de adolescente protestam pedindo 'Justiça Pela Maria'

Ato foi realizado em frente ao Fórum Henoch Reis em referência a adolescente de 15 anos que acusa o avô, o desembargador aposentado Rafael Romano, por abuso sexual 19/03/2018 às 12:55 - Atualizado em 19/03/2018 às 12:55
Show whatsapp image 2018 03 19 at 12.31.34
(Foto: Jair Araújo)
Paulo André Nunes Manaus

Cerca de 60 pessoas participaram, no final da manhã desta segunda-feira, de uma mobilização "#JustiçapelaMaria/Grito de Justiça", no cruzamento do Forum Ministro Henock Reis (entre as avenidas André Araújo e Umberto Calderaro Filho).

Houve distribuição de camisas e adesivos visando alertar a sociedade para o caso do desembargador aposentado Rafael Romano, que está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca) e tem denúncia no Ministério Público do Amazonas (MP-AM) que o acusa de ter abusado sexualmente da neta de 15 anos. Ele nega todas as acusações.

O caso foi denunciado pela mãe da adolescente e ex-esposa do advogado, Luciana Pires, que está organizando a mobilização.

"Estamos aqui pra fazer mais um grito pela justiça, pela justiça da Maria e por todas as meninas que ja passaram por isso e tiveram a sua infância roubada. O que nós queremos é justiça. O que queremos é que a sociedade participe conosco", disse Luciana Pires.

O protesto é o segundo para chamar a atenção da sociedade para o caso - o primeiro foi há uma semana no mesmo local. "Vamos esperar a doutora Juliana Tuma (Depca) terminar o inquérito policial e indicie o acusado desembargador aposentado. Vamos ter fé".

"Isso aqui não é exposição de menor: e um clamor de defesa pelas nossas crianças. queremos justiça. Queremos um pedófilo a menos na sociedade", ressaltou Pires, respondendo a quem criticou o vídeo onde sua filha adolescente revela sua identidade e pede comparecimento ao ato que ocorre neste momento.

A empresária Adriana Cardoso é uma das pessoas que estão adesivando veículos e protestando no cruzamento do Forum Henock Reis. "Esse ato representa um grito não apenas a favor da nossa Maria, mas de todas as outras Marias que não têm como gritar. O que aconteceu foi um absurdo, nojento", classificou ela.

Luciana Pires tornou público, por meio das redes sociais, a cópia do depoimento que prestou no Ministério Público, que apresenta detalhes de como a filha seria abusada pelo avô.

Pai fala em vingança da ex-esposa

Para o pai da criança, advogado Rafael Romano Júnior, a denúncia foi usada como objeto de vingança da ex-esposa e pela fragilidade emocional da menina em face do processo conturbado de separação do casal. O desembargador aposentado também nega todas as acusações feitas pela neta e pela ex-nora.

A adolescente  afirma, na denúncia, que passou a ser abusada pelo avô quando estava prestes a completar oito anos de idade. Os abusos, segundo o relato, duraram até a menina completar 14.

O promotor Leonardo Tupinambá, que atua no caso, disse que a investigação vai ocorrer em segredo de justiça, conforme manda a lei, mesmo depois do caso ter se tornado público.

Publicidade
Publicidade