Publicidade
Manaus
Manaus

Familiares e amigos dos estudantes mortos por PM em Manaus fazem manifestação

Os manifestantes saíram da frente do Colégio Estadual e seguiram para a sede do Ministério Público Estadual (MPE), pedindo justiça e a prisão do policial 03/04/2012 às 16:57
Show 1
A manifestação reuniu cerca de 200 pessoas entre familiares e amigos da vítima
Evelyn Souza e Milton Oliveira Manaus

Aproximadamente 200 pessoas se concentraram na manhã desta terça-feira (3) em frente ao Colégio Estadual Dom Pedro II, no centro de Manaus, em torno dos familiares   e amigos dos estudantes Ewerton Felippy Marreiros e Bruno Menezes de Souza, que foram mortos pelo policial militar Marcos Marques Pinheiro.

O grupo fez uma manifestação exigindo justiça e a prisão do policial militar envolvido nas mortes.

Os manifestantes saíram da frente do Colégio Estadual e seguiram para a sede do Ministério Público Estadual (MPE), na Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.

A caminhada que iniciou com aproximadamente 200 pessoas, chegou à sede do Ministério Público Estadual com apenas 70 pessoas, em conseqüência da forte chuva nas primeiras horas da manhã.    

MP-AM vai acompanhar investigações
Os pais de Bruno Menezes e Ewerton Marreiros foram recebidos no MPE, pela Promotora de Justiça Cley Barbosa Martins, titular das Promotorias de Justiça Especializadas no Controle Externo das Atividades Policiais (60ª e 61ª PROCEAP). Eles solicitaram acompanhamento do órgão nas investigações que já estão em andamento.

A promotora manteve contato por telefone com a titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS), Cristina Portugal, e foi informada que a solicitação de prisão temporária do acusado, o policial militar Marcos Pinheiro, já foi encaminhada para o juíz da 3ª Vara do Tribunal do  Júri, onde aguarda análise.

"O Ministério Público vai acompanhar as investigações que estão em fase de inquérito policial e estamos à disposição para orientar os pais das vítimas", disse a promotora.