Publicidade
Manaus
Manaus

Famílias atingidas pela cheia em Manaus recebem menos auxílio do que as do interior

As famílias atingidas pela cheia em Manaus não terão benefícios semelhantes aos destinado às vítimas do fenômeno no interior 05/05/2012 às 09:23
Show 1
O bairro da Glória,Zona Oeste, é um dos oito atingidos pela cheia na capital amazonense; famílias receberão madeira
FLORÊNCIO MESQUITA Manaus

No segundo dia de visita às áreas atingidas pela cheia em Manaus, acompanhado por parlamentares e vereadores pré-candidatos ao pleito deste ano, o governador Omar Aziz (PSD) assegurou que a passagem da comitiva pelos bairros alagados “não é propaganda política”. “A nenhum vereador que está me acompanhando pode ser dada a alcunha de que ele esteja fazendo campanha ou tirando proveito. É a solidariedade mesmo. É tão chato a gente estar trabalhando e as pessoas pensarem isso. Se não fazemos, as pessoas acham que é porque é incompetente. Se vem fazer é porque está tirando proveito”, disse Omar.

A declaração do governador foi feita na manhã de ontem durante visita às ruas alagadas, no bairro da Glória, na Zona Oeste de Manaus.

Ao contrário do que aconteceu no interior do Amazonas, as 10 mil pessoas que atualmente estão prejudicadas pela cheia, em pelo menos oito bairros de Manaus, não receberão a ajuda do Governo do Estado por meio do cartão “Amazonas Solidário”.

O benefício prevê o pagamento de R$ 400 a cada família afetada pela subida das águas no Estado. No entanto, o governador Omar Aziz afirma que apenas as famílias atingidas no interior receberão o cartão. Conforme ele, os dados atualizados até ontem, apontam que quase 70 mil famílias, em 32 municípios do Amazonas estão sendo castigadas pela cheia em todo o Estado.

Para as famílias da capital, segundo Omar, serão disponibilizadas apenas madeira para construção de pontes e marombas (piso elevado de madeira construído provisoriamente em casas alagadas).

Medidas

O governador explicou que as famílias de Manaus não receberão os recursos porque já estão cadastradas no Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) e serão retiradas das áreas alagadas tão logo termine a cheia deste ano. Omar ressalta que a distribuição de madeira é uma medida para ajudar as famílias a se manterem até a descida do rio e o início das obras do Prosamim.

O governador garantiu que a retirada será rápida e que a ajuda financeira não vai adiantar porque não se pode deixar de lado a execução do Prosamim, que é definitiva. A ajuda, poderá se repetir no próximo ano.

Segundo Omar, a obra já está licitada e depende do resultado do processo que será divulgado nas próximas semanas, que indicará a empresa vencedora. Somente no bairro da Glória, visitado ontem, 600 famílias estão com as casas dentro da água. O lixo e o mau cheiro tomam conta do local.

O governador teve acesso às áreas em pontes construídas pelo próprio Estado e também pela Prefeitura de Manaus. Durante a visita, Omar Aziz prometeu continuar a construção de pontes e a doação de madeira nas áreas atingidas para que as famílias subam o assoalho das casas.

Prefeitura anuncia ajuda

A respeito das ações da Prefeitura de Manaus em relação às vitimas da cheia, a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) informou, por meio de nota, ontem, que desde o dia 21 de março, quando a cota do Rio Negro estava ainda em 27,23 cm, a Prefeitura de Manaus está prestando assistência e atendimento às vítimas das alagações na capital.

Esse atendimento envolve várias secretarias e órgãos municipais, com orientação e supervisão do prefeito Amazonino Mendes e coordenação da Defesa Civil do Município. O apoio a essas famílias será ampliado a partir da próxima semana, com o lançamento do programa SOS Enchente, uma ação emergencial que envolve mais três mil servidores, reforçando o contingente que já vinha atuando junto às vítimas. O lançamento oficial será feito pelo prefeito às 10h de terça-feira.