Publicidade
Manaus
Cotidiano, Feira, Hortaliças Não Convencionais, Musa, Inpa, MAPA

Feiras oferecem hortaliças não convencionais, neste sábado (5), em Manaus

Produtos altamente nutritivos, com grande fonte de fibras, vitaminas e minerais essenciais para a saúde as hortaliças são cultivadas por meio de um projeto desenvolvido desde 2009, pelo Museu da Amazônia junto às famílias de agricultores do Assentamento Água Branca 04/05/2012 às 10:42
Show 1
Hortaliças não convencionais tem alto poder nutritivo
acritica.com Manaus

Alfavaca, bertalha, vinagreira, cubiu, taiobá, espinafre–amazônico são algumas das hortaliças não tradicionais a serem oferecidas neste sábado (5), nas feiras do centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), localizado no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus e na Feira do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), bairro Adrianópolis, quase em frente ao edifício comercial Cemon, Zona Centro-Sul, a partir das 6h.

Outros produtos como inhame, araruta, feijão-de-asa, cariru, ária, urucum, macaxeira, banana, limão, ovos, maracujá, cheiro verde, farinha, goma, tucupi, além de geléias, também poderão ser encontrados nas barracas das duas feiras.

As ofertas das hortaliças variam de acordo com o período do ano, mas são produtos altamente nutritivos, com grande fonte de fibras, vitaminas e minerais essenciais para a saúde. O trabalho faz parte de um projeto desenvolvido desde 2009, pelo Museu da Amazônia (Musa) junto às famílias de agricultores da Associação de Agricultores (Astab), do Assentamento Água Branca.

A produção das hortaliças conta com o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), que estudou o valor nutricional dessas plantas encontradas na Amazônia, mas que não são consumidas pela população, por desconhecimento. O projeto, além de representar uma alternativa de alimentação, contribui com a renda dessas famílias produtoras, assentadas na região fronteiriça da Reserva Ducke, no bairro Cidade de Deus, localizada na Zona Norte de Manaus.

Receitas
O cubiu (Solanum sessiliflorum), um fruto rico em fósforo e vitamina C, pode ser consumido em saladas, cozido com carnes e peixes, e usado no preparo de doces, geleias, licores, sucos e sorvetes. Seu suco é tradicionalmente usado no controle do diabetes e do mal do colesterol.

As folhas e as flores do ora-pro-nobis (Pereskia bleo) podem ser consumidas cruas, em saladas. Além disso, podem ser usadas no preparo de carnes, frango, patês, pães, bolinhos e pasteis. Com os frutos, também podem ser preparados sucos, geleias e licores. A hortaliça é rica em proteína e também chamada de carne vegetal.

Do taiobá (Xanthosoma sagittifolium), com rica fonte de ferro, comem-se as folhas, talos e raiz. As folhas devem ser sempre cozidas e retiradas as fibras dos talos. Uma boa pedida é picar as folhas e o talo, refogá-los com cebola, alho e sal e deixá-los cozinhar até se tornarem macios. A raiz é usada em sopas, saladas cozidas e no acompanhamento de carnes.

O espinafre-amazônico (Alternanthera sp.) tem suas folhas ricas em proteína e manganês, que podem ser consumidas em saladas cruas ou cozidas e no feijão. Para diminuir o gosto amargo, as folhas devem ser escaldadas em água quente duas vezes, antes do cozimento. Também é usado no preparo de pães, suflê e bolinhos.

A vinagreira (Hibiscus sabdariffa), rica em proteína, cálcio e vitamina A, também é excelente na preparação de saladas. Suas folhas são usadas cruas ou cozidas, junto com arroz, carnes e peixes. Da parte que reveste o fruto, chamada cálice, são feitos refrescos e geleias. E o colorau, feito, a partir da polpa das sementes de urucum (Bixa orellana), já é um velho conhecido das donas de casas locais. É usado para dar cor a pratos à base de carne ou frango, arroz e sopas. Também tem efeito digestivo, laxante, expectorante e antibiótico.