Publicidade
Manaus
Manaus

Fim de regalias na ALE-AM gera embate público entre deputados

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Nicolau (PSD), e seu colega de Plenário Marcelo Ramos (PSB), participaram na manhã desta quinta-feira (12), do programa A Crítica Notícias, transmitido pela Nova A Acrítica FM, onde trocaram 'alfinetadas' 12/04/2012 às 13:39
Show 1
Marcelo Ramos e Ricardo Nicolau
JOELMA MUNIZ Manaus

Os pacotes de ações moralizadoras atualmente discutidos na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), que visam à extinção do 14º e 15º salários (conhecidos como auxilio paletó), e o fim do pagamento de diárias relativas a viagens dos parlamentares, podem não representar redução nos gastos do governo com a Casa, já que os R$ 8 milhões que devem ser economizados com a medida poderão ser injetados em outras regalias.

A análise foi feita pelo deputado estadual Marcelo Ramos (PSB), na manhã desta quinta-feira (12), em participação no programa Acrítica Notícias, da Nova A Crítica FM.

Na ocasião, o parlamentar sugeriu ao presidente da Casa, deputado Ricardo Nicolau (PSD), que remaneje o montante para investimentos na Defensoria Pública do Estado e no Ministério Público Estadual.

Ramos comparou o orçamento da ALE-AM, com a dos dois órgãos. O socialista lembrou que para manter apenas uma sede e 24 deputados, a Casa recebe do Estado 3,8% do orçamento anual, o que em valores significa R$ 201 milhões.

Já o Ministério Público com sede nos 62 municípios do Amazonas, e com um corpo de 191 promotores e procuradores, recebe um montante de R$ 174 milhões.

Outro orçamento destacado pelo parlamentar foi o dá Defensoria, que possui 46 defensores, mas que embolsa R$ 40 milhões anuais.

Para ele, a ALE-AM “recebe muito mais do que deveria”. “Não haverá sentido na iniciativa, se o Poder continuar utilizando o dinheiro para aplicar em outras regalias, e em obras “questionáveis”. Referindo-se as obras de construção de uma sala vip  e ampliação do estacionamento da ALE-AM, que estão desde o início sem receber criticas de alguns parlamentares.

“Temos que escolher se queremos fazer demagogia, ou uma economia verdadeira”, alfinetou.

Embate

Quem também participou da conversa, foi o presidente da ALE-AM, deputado Ricardo Nicolau, que protagonizou com seu colega Marcelo Ramos um verdadeiro embate público.

Nicolau disse não vê problemas em remanejar a possível economia obtida através do fim dos auxílios,e defendeu o valor repassado pelo Governo para a Casa, ele lembrou que a Assembleia Legislativa reduziu seu orçamento em 2011 para socorrer o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), que ameaçou fechar comarcas no interior do Estado por conta de crise financeira.

Segundo ele, 3,8% não é o menor valor destinado por um governo para um Poder Legislativo pelo país, mas, que também não é o maior.

O presidente da ALE-AM, disse não identificar problemas nas obras para construção de uma sala vip, e  ampliação da estrutura de estacionamento da sede da Assembleia, retrucando as ‘indiretas’ de seu colega quanto a obras questionáveis.

Desafio

Ricardo Nicolau desafiou Marcelo Ramos a abrir mão de algumas de suas vantagens como deputado. Ele sugeriu ao colega que abra mão de sua vaga exclusiva no estacionamento da ALE-AM, e de 15 de seus funcionários para ajudar na economia da Casa.

O que é o auxilio paletó

O auxilio paletó equivale ao valor do salário dos parlamentares R$ 20 mil, e é pago aos deputados de maneira anual, sendo a primeira parcela paga no início e no fim do ano.