Publicidade
Manaus
Manaus

Fiscalização eletrônica ainda passa despercebida pelos motoristas de Manaus

Eles começaram a multar, mas condutores continuaram ignorando a presença deles nas avenidas 19/06/2012 às 07:17
Show 1
Um dos controladores de velocidade encontra-se instalado na avenida Torquato Tapajós em frente à indústria Philips
carolina silva Manaus

Os seis novos controladores de velocidade que começaram a funcionar nesta segunda-feira (18) em três das principais avenidas de Manaus passaram despercebidos por muitos motoristas. É que sem as placas indicando a presença de  fiscalização nesses locais, condutores que costumam dirigir acima da velocidade máxima permitida não se sentiram intimidados pelos ‘corujinhas’.

Os três novos pontos de fiscalização do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) funcionam de acordo com a resolução 396 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em vigor desde  22 de dezembro do ano passado, e que derrubou a exigência de placas de alerta para a existência de radares fixos e móveis em todo o País. Mas também prevê que os equipamentos não podem ficar escondidos. O motivo da mudança é a redução do número de acidentes, já que muitos motoristas aproveitavam o aviso dos radares para ultrapassar a velocidade máxima permitida em pontos não cobertos pelo equipamento.

Na avenida Coronel Jorge Teixeira (estrada da Ponta Negra), Zona Oeste, A CRÍTICA constatou na manhã desta segunda (18) que a cada dez veículos que passam pelo equipamento instalado em frente ao condomínio Jardim das Américas, pelo menos cinco não respeitam o limite de velocidade que é de 60 km/h.

Para o designer Alexandre Gomes, 36, sem as placas para alertar os motoristas, a situação vai se repetir por tempo indeterminado. “Muitos condutores não respeitam qualquer tipo de sinalização  e tampouco vão  atentar para essas que estão próximo aos corujinhas. Mesmo depois de alguns anos instalados, motoristas ainda serão multados por excesso de velocidade”, disse.

O mesmo erro se repetia na avenida Torquato Tapajós, Zona Norte. Mas o que chamou a atenção foi o excesso de velocidade de veículos com cargas. Mesmo com as placas indicando a velocidade máxima de 60 km/h, caminhões e carretas trafegavam pelos corujinhas acima do limite permitido.

Para os pedestres da avenida das Torres, a fiscalização é uma solução para que os motoristas respeitem a faixa. “Como os equipamentos estão próximos da faixa de pedestre, eles agora param pra gente atravessar. Só assim mesmo pra eles respeitarem o próximo”, disse a estudante Karina Gonçalves, 17.

Fiscalização necessária em outras vias
Embora os seis novos controladores de velocidade estejam instalados em vias com grande fluxo de veículos, motoristas e pedestres alertam que a fiscalização tem que ser mais intensa também em outras vias que servem de palco para acidentes graves como na avenida do Turismo, Zona Oeste.

Motoristas também costuma escolher a via para disputar “rachas” em horário noturno. “Muitos motoristas dirigem a 120 km/h nessa via que tem poucas placas avisando que o limite de velocidade é 60 km”, conta o garçom Robson Santos, 29.

Apenas um controlador de velocidade está instalado na extensão da avenida do Turismo. Instalado em frente ao estabelecimento “Kasa do Espeto”, o equipamento de fiscalização é ignorado pelos motoristas. “E não adianta ter as placas indicando o limite de velocidade próximo ao corujinha que os condutores não enxergam e depois ficam reclamando que são multados”, ponderou  a empresária Maísa Nogueira, 25.

Maísa  defende a resolução que proíbe a sinalização da fiscalização. “Se os motoristas não aprendem a respeitar as leis de trânsito sem serem multados, é preciso educá-los dessa maneira mesmo”, defendeu a empresária.

Prova
Os novos controladores  tem  sensores com câmeras que medem e capturam a imagem dos carros que trafegam com velocidades acima das permitidas.

Balanço
O Manaustrans irá divulgar daqui a 15 dias o balanço de multas por excesso de velocidade aplicadas no primeiro semestre de 2012.

Acidentes
Dados do órgão indicam que em 2011, foram registrados 23 acidentes com vítimas fatais na avenida Torquato Tapajós.