Publicidade
Manaus
Cotidiano, Árvores, Semmas, Temporal, Tempestade

Força-tarefa atende pedidos de vistoria de manejo de árvores em Manaus

Equipes da Semmas estarão nas ruas avaliando o risco de queda de ávores afetadas pelo temporal registrado em Manaus, na última terça-feira (30), e que derrubou várias espécies pela cidade 01/11/2012 às 16:19
Show 1
Árvore derrubada pelo temporal interdita rua em bairro da Zona Centro-Oeste de Manaus
acritica.com Manaus

A grande quantidade de pedidos de corte e poda feitos à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), em virtude da ocorrência de temporais, nos últimos dois dias, levou o órgão a montar uma força-tarefa com a finalidade de avaliar o risco de queda de árvores na cidade.

Nesta quinta-feira (1), técnicos do Departamento de Arborização e Paisagismo da Semmas saíram às ruas com a finalidade de realizar parte dos 180 pedidos realizados juntos ao setor. A intenção é concluir as vistorias no prazo de cinco dias.

A ocorrência de temporais gera costumeiramente um temor na população em relação à presença de árvores no entorno das residências.  De acordo com o diretor de Arborização e Paisagismo da Semmas, Heitor Liberato, não há motivo para pânico.

Ao contrário do que muitos imaginam, as árvores são importantes aliadas da população ao funcionarem como barreiras para conter a velocidade dos ventos.

“É preciso que haja cuidados em relação à manutenção da árvore para que não haja comprometimento do seu estado fitossanitário”, avalia Heitor Liberato, dando como exemplo a necessidade de podas de condução, existência de área permeável no entorno da árvore e adubação.

Segundo ele, as árvores quando bem cuidadas só oferecem benefícios. Durante o último temporal, ocorrido na noite da última terça-feira (30), houve registro de quedas de árvores em todas as zonas da cidade.

A Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), está retirando todas as árvores que tombaram e podando as que tiveram suas ramificações danificadas.

O trabalho de vistoria, segundo Heitor, avaliará a condição das árvores apontadas como suspeitas de estarem sob risco de queda para saber qual o real procedimento a ser tomado.

“Ao se deparar com o caso de uma árvore que, por exemplo, apresente uma copa  ou galhos que possam comprometer a sua estabilidade, ou com raízes danificando o calçamento, a equipe técnica pode autorizar que seja feita uma poda ou aumento da área permeável, para que não haja afloramento das raízes”, explicou.

A execução dos procedimentos de manejo da arvore é de responsabilidade do proprietário se a mesma estiver em propriedade particular. No caso de vias públicas, o responsável é a Prefeitura de Manaus ou a Amazonas Energia, se houver conflito com rede elétrica.