Publicidade
Manaus
Manaus

Fraude dos usuários de transporte coletivo é denunciada na CMM

Denúncia de vereador destaca prejuízo de R$ 243 mil mensais por uso do passe livre e da carteirinha estudantil por terceiros 07/10/2015 às 12:44
Show 1
Pelos dados apresentados, a perda financeira comprovada no mês de junho somou R$ 230.196,00
Natália Caplan ---

A tarifa de ônibus poderia ser reduzida se o uso de gratuidade e meia-passagem não sofresse fraude dos próprios usuários. A afirmação foi feita pelo vereador Rosivaldo Cordovil (PTN), ontem, após discurso na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Ele se referiu ao prejuízo estimado em R$ 243 mil mensais por conta do uso do passe livre e da carteirinha estudantil por terceiros, ao invés de somente pelos beneficiários.

“Pessoas que têm a gratuidade do sistema não estão usando; outras pessoas estão. Até mesmo os próprios trabalhadores do sistema, os cobradores (não todos) burlam a regra para ficar com o dinheiro daqueles que pagam passagem inteira. Isso está causando um prejuízo que pode chegar a R$ 3 milhões até o fim do ano”, disse, ao ressaltar que essa apuração foi feita apenas em 75% do sistema.

De acordo com ele, que é presidente da Comissão de Transporte, Viação e Obras Públicas (Comtvop) da casa legislativa, os números foram repassados pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

Biometria

O boicote foi constatado após a implantação do programa biométrico de reconhecimento facial nas catracas dos coletivos, que detectam por quem o cartão é utilizado.

Pelos dados apresentados, a perda financeira comprovada no mês de junho somou R$ 230.196,00. Desse total, R$ 132.852 por estudantes, R$ 88.083 por pessoas com necessidades especiais e R$ 9.261 por cadeirantes. Já no mês de julho, o valor da fraude por uso indevido da carteira estudantil foi de R$ 123.660 e de R$ 119.634 por usuários com necessidades especiais e R$ 13.230 por quem depende de cadeira de rodas.

Suspeitas

O sistema implantado em 100% da frota de ônibus de Manaus está em fase de testes desde fevereiro. Ficou ativo em junho e julho, quando foram avaliadas 75% das suspeitas totais de fraudes no sistema de transporte público de passageiros. “A tarifa é baseada em cima da quantidade de pessoas que utilizam o sistema. Se coibirmos essa fraude, quando houver um cálculo da tarifa, com certeza haverá redução”, enfatizou Cordovil.

De acordo com o presidente da Comtvop da Câmara Municipal de Manaus (CMM), além da possibilidade de reduzir o valor da tarifa, a implantação do passe livre aos estudantes poderia se tornar viável. “Na hipótese de se conceder o passe livre, a fraude pode aumentar ainda mais. Por isso, temos que ter regras, coibir a fraude e, no futuro, poderemos ter condições de implantar o passe livre em Manaus”, declarou.

Providências

Para o superintendente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, antes de penalizar, é preciso investir em publicidade sobre o equipamento de biometria e normatizar, por meio de decreto, os devidos procedimentos. “Não podemos permitir esse desvio de dinheiro pelo uso indevido de carteiras. Vamos trabalhar para evitar irregularidades”, declarou.

O vereador Rosivaldo Cordovil concordou. “A Comissão de Transporte vai marcar uma agenda com o Ministério Público Estadual, juntamente com o prefeito Artur Neto (PSDB), para que possamos encaminhar e dar um direcionamento para não ocorrer essas fraudes no sistema”, enfatizou. “Percebemos que é um dinheiro jogado no lixo. O caminho é uma campanha publicitária ostensiva em alerta aos usuários para não cometam a irregularidade”, completou. O vereador Waldemir José disse não apoiar essa campanha contra os usuários.

Blog: Waldemir José, vereador pelo PT

“Acho essa discussão inoportuna, porque eu fiz uma fiscalização semana passada, nas linhas de ônibus no bairro Cidade de Deus e encontrei uma série de irregularidades Alguns estão sem vistoria, placas atrasadas, estão sujos. Se preocupam tanto em fiscalizar determinados cidadãos, mas não em fiscalizar os próprios ônibus. O centro deve ser a qualidade do transporte público e, com isso, eles não se preocupam. Ficam com esse tipo de ‘caça às bruxas’. Eu acho até que precisa fazer, mas não necessita dar propaganda a isso, que é pequeno em relação aos verdadeiros problemas. Tem que ser feita, existe tecnologia para isso, mas ela também precisa estar a serviço da qualidade do transporte, de quantidade de ônibus novos. São essas pautas que a população gostaria realmente que fossem vistas. A meu ver, essas outras são só para desviar a atenção do verdadeiro problema do transporte público”.