Publicidade
Manaus
Manaus

Frequência escolar em baixa no interior do Amazonas

Santa Izabel do Rio Negro foi o município do Amazonas onde apenas 24,9% dos habitantes frequentavam o banco escolar em 2010 21/12/2012 às 08:27
Show 1
Em Manaus, pesquisa do IBGE mostrou que da população acima de 10 anos, 55,6% não tinham instrução alguma ou tinham o ensino fundamental incompleto
CAROLINA SILVA Manaus

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que integram a pesquisa “Educação e deslocamento”, revelaram que Santa Isabel do Rio Negro (a 629 quilômetros de Manaus), foi o município com menor frequência à escola do Amazonas. A pesquisa foi feita com base no censo demográfico de 2010. O município, que possui pouco mais de 17 mil habitantes, apareceu com apenas 24,9% de sua população frequentando o banco escolar.

A pesquisa mostrou ainda que o percentual daquelas pessoas que declararam nunca terem frequentado a escola no Estado, considerando todas as idades, foi bastante alto em Santa Isabel do Rio Negro (52%), seguida de Atalaia do Norte (40%) e Ipixuna (38%). De acordo co o IBGE, os dados significam graves problemas de formação educacional, entre os quais o analfabetismo ou o analfabetismo funcional.

O secretário municipal de educação de Santa Isabel do Rio Negro, Élio Fonseca, contestou o resultado da pesquisa. “Nos últimos anos houve um avanço significativo e temos trabalhado para combater o abandono escolar. Na sede do município, temos buscado uma aproximação com os pais e professores para incentivar a frequência das crianças e dos jovens na escola”, comentou. De acordo com o secretário, nas comunidades do município, quase 100% da população em idade escolar estão regularmente frequentando uma unidade de ensino.

Segundo a gerente de estatística da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Silvana Moraes, o baixo índice de frequência escolar em municípios localizados no Alto Rio Negro, entre eles Santa Isabel do Rio Negro, deve-se à dificuldade de acesso da população indígena a uma unidade de ensino. “Existe um elevado número de habitantes indígenas e que geograficamente moram em áreas muito isoladas. Esse é o grande problema. Algumas comunidades possuem apenas 2 ou 3 alunos”.

Neste caso, o secretário municipal de Educação Élio Fonseca ressaltou que o município tem reunido esforço para implementar um sistema especial de ensino para a população indígena. “Temos uma grande população de yanomamis e que declararam não frequentar o ambiente escolar. Mas já existe uma tentativa da secretaria em incluir estes indígenas nesse sistema especial de ensino. Mas, no que diz respeito às comunidades rurais, tem sido feito um esforço para levar professor até mesmo onde só há 10 pessoas em idade escolar”, informou.

Conforme a secretaria de educação de Santa Isabel do Rio Negro, ao todo, 2,5 mil alunos em idade escolar estão regularmente matriculados e frequentando a escola. “São 300 alunos na educação infantil e mais 2,2 mil no ensino fundamental”, afirmou o secretário Élio Fonseca.

Em Manaus, apenas 9,8% da população declarou nunca ter frequentado escola. Em todo o Amazonas, das 532 mil pessoas que declararam nunca terem frequentado escola, 256 (48%) tinham entre 0 e 3 anos de idade; 38 mil (7%) tinham entre 5 e 9 anos de idade. Já o grupo mais preocupante, apontado pelo IBGE, é daqueles com idade entre 10 e 59 anos concentrava 158 mil pessoas, 30% do total.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).