Publicidade
Manaus
Manaus

Fugas de adolescentes são constantes no Amazonas

Estado admite que situação é comum; somente este ano foram 14 17/04/2012 às 07:18
Show 1
Em janeiro, um adolescente tentou criar um motim no Centro Sócioeducativo Senador Raimundo Parente ao atear fogo em colchões da unidade usando lâmpada
ANA PAULA SENA Manaus

As constantes fugas de menores do Centro Sócioeducativo Senador Raimundo Parente, localizado no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, motivaram a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) a abrir uma sindicância para apurar se está havendo facilitação de instrutores. Somente este ano, 14 menores já fugiram dos Centros em Manaus. Desse total, quatro continuam foragidos.

A decisão de abrir sindicância foi tomada durante uma reunião na manhã dessa segunda-feira (16), entre diretores dos centros educativos e a secretária de assistência social, Graça Prola.

No último domingo, sete adolescentes fugiram do Centro Sócioeducativo Senador Raimundo Parente, que conta com 20 internos.

De acordo com a assessoria da secretaria, por volta de 16h, os menores conseguiram render três agentes sócioeducadores. Eles abriram o almoxarifado do local, onde pegaram uma escada, que foi usada para que eles conseguissem pular o muro da unidade. Por volta de 20h, durante buscas pelas redondezas, três adolescentes foram recapturados pela Polícia Militar (PM).

O caso já foi comunicado ao juiz da Vara da Infância e da Juventude, Bismarck Leite, e também as famílias dos adolescentes foragidos.

Em menos de uma semana, somente na unidade Senador Raimundo Parente, foram registradas dez fugas de menores. Segundo o diretor de Proteção Social da Seas, Ítalo Bruno Nonato, ele vai apurar a fundo o que de fato aconteceu e responsabilizar os envolvidos.

“Ainda é cedo para dizer se realmente houve ajuda de alguém, mas com certeza vamos descobrir e punir os culpados”.

Sobre a quantidade de sócioeducadores que monitoram os internos, Ítalo Bruno afirmou que, ao todo, nos cinco centros existentes em Manaus, 70 profissionais atendem os internos, além de assistentes sociais e psicólogos. O número é considerado suficiente por ele.

“Estamos estruturando os atendimentos, capacitando toda a rede para que possamos realizar um atendimento com qualidade e para que os procedimentos não aconteçam de forma errada”, enfatizou.

O diretor ainda ressaltou que todos os centros sócioeducativos de Manaus realizam um trabalho de reintegração dos menores à sociedade.

“É muito fácil dizer que nada é feito. O que poucas pessoas sabem é que realizamos vários trabalhos na área de saúde, esporte e educação. Nosso objetivo é fazer com que esses jovens saiam da criminalidade e vivam em paz na comunidade”, relatou.

O diretor ainda afirma que é a primeira vez que casos como este, de fuga em massa, acontecem em Manaus.

Sete fugas em menos de duas semanas
Além da fuga em massa registrada no Centro Sócioeducativo Senador Raimundo Parente no último domingo, outra situação semelhante foi registrada no mesmo dia, no Centro Sócioeducativo Dagmar Feitosa.

Um adolescente de 17 anos escalou a parte mais baixa do muro da instituição e escapou, por volta de 16h, quando os outros internos praticavam atividades esportivas no pátio. Ele ainda não foi recapturado pela polícia.

Há duas semanas, outros quatro adolescentes também escaparam do local, mas já foram recapturados pela Polícia Militar (PM).

Na terça-feira (10), dois internos de 16 anos aproveitaram a distração dos monitores da unidade Senador Raimundo Parente para fugir. Na ocasião, a diretora do Centro, Matilde Ezaguy, afirmou que a fuga não aconteceu por falta de segurança na instituição e, sim, por uma “distração” dos monitores.

“Não se pode considerar o fato um evento natural, mas é algo que acontece. O Centro cumpre todas as medidas de segurança”, relatou. Eles também foram resgatados, um dia após a fuga.

Medidas
A Secretaria de Assistência Social (Seas) afirmou que algumas adequações serão realizadas nos centros para evitar que novas fugas aconteçam nos centros, uma delas é o aumento do muro. Atualmente o centro Socio-Educativo Dagmar Feitoza possui 46 internos; o Senador Raimundo Parente possui 20; o centro feminino Marise Mendes abriga quatro; o Semi-Liberdade tem 11 e a Internação Provisória possui 60 menores.

Nova unidade em licitação
Devido a reclamações de falta de segurança feitas por pessoas que moram próximas aos centros sócioeducativos de Manaus, um novo projeto para construção de uma nova Unidade de Internação masculina e feminina está em fase de licitação.

Desde o dia 5 de janeiro, a Comissão Geral de Licitação (CGL) abriu o pregão eletrônico para a construção do novo Centro, que irá funcionar no km 8, da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

A unidade substituirá o Centro Socioeducativo Assistente Social “Dagmar Feitosa”, localizado no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, com capacidade para 53 adolescentes.

De acordo com o diretor do departamento de Proteção Social da Seas, Ítalo Bruno Nonato, o projeto Político Pedagógico e de infraestrutura do novo Centro Socioeducativo foi elaborado pelos Conselhos Estadual e Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca) e (Cemdca), respectivamente, aprovado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos (Sendh) e cumpre todas as exigência do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). O projeto custará R$ 11 milhões e será um complexo com capacidade para abrigar 90 menores. A previsão é de que até junho deste ano inicie a construção. 

Diretrizes
Os Centros Socioeducativos de Internação Masculina e Feminina, além dos Núcleos de Liberdade Assistida e Prestação de Serviços à Comunidade, possuem projetos pedagógicos e Regimentos Internos elaborados peladireção, equipes técnica e operacional, sócioeducadores e adolescentes.