Publicidade
Manaus
Manaus

Funcionários da prefeitura de Rio Preto da Eva fazem manifestação

De acordo com o vice-delegado do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas, Valério Furtado Coelho, a categoria reivindica o pagamento de salários referente a três meses e o recebimento do 13º salário, além de férias 14/11/2012 às 17:34
Show 1
Trabalhadores protestam por atraso no pagamento salarial
Thiago Gonçalves Manaus (AM)

Funcionários da prefeitura do município de Rio Preto da Eva (distante a 57 km de Manaus) realizaram uma manifestação na manhã desta quarta-feira (14). Os servidores, que atuam no setor de educação, reivindicam o pagamento de salários em atraso. 

De acordo com o vice-delegado do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas, Valério Furtado Coelho, a categoria reivindica o pagamento de salários referente a três meses de atividades e o recebimento do 13º salário, além de férias.  

“Os professores não receberam o 13º atrasado desse ano, estão com vencimentos atrasados de três meses, e dois terços das férias de 2011 e 2012”, afirmou Valério. “O prefeito (Fullvio da Silva Pinto – PPS) tem dinheiro, mas não que pagar”, completou.

Segundo o representante do sindicato, além dos cerca de 200 educadores, funcionários de serviços gerais, merendeiros e noventa vigias estão entre os manifestantes.

Após uma passeata pelas ruas da cidade, os trabalhadores se concentraram em frente a secretaria de Finanças da prefeitura do município.

Barricada

No inicio do protesto na manhã desta quarta-feira, os manifestantes interditaram um trecho da rodovia que dá acesso ao município, impedindo a passagem de veículos.

Prefeitura

Ao contrário do que o sindicato dos trabalhadores denuncia, o prefeito de Rio Preto da Eva, Fullvio da Silva Pinto (PPS), garantiu, em conversa com a reportagem do acritica.com, por telefone, que não há atraso no pagamento dos funcionários. “Não entendo o porquê desse movimento. O pagamento está em dia”, afirmou.

Sobre o 13º salário, o prefeito Fullvio Pinto disse que fará a injeção do recurso até o prazo previsto (20 de dezembro).

Em relação às férias dos funcionários, o prefeito comentou: “não vou atender exigência que não seja legal. Quem tem direito as férias vai receber”.

Fullvio alegou que a manifestação dos trabalhadores ‘não tem lógica’, e disse que vai atendê-los para reunião na próxima segunda-feira (19).